Discussão pode levar uma avaliação do Galo “até segunda ordem”

Alexandre Gallo considera empate com Atlético-AC abaixo do esperado e conta sobre reunião na madrugada para avaliar situação envolvendo Oswaldo de Oliveira, que chegou em silêncio a BH

(foto/reprodução)

 

O Atlético-MG desembarcou na manhã desta quinta-feira no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte menos de 12 horas depois do início da partida contra o Atlético-AC, na estreia da Copa do Brasil. O empate em 1 a 1 ficou em segundo plano. Na chegada da delegação, o assunto principal foi a situação envolvendo o técnico Oswaldo de Oliveira e um repórter de rádio de Belo Horizonte, que discutiram durante a entrevista coletiva após a partida. O diretor de futebol do clube, Alexandre Gallo, anunciou que o jornalista Léo Gomide, da Rádio Inconfidência, está proibido de entrar na Cidade do Galo “até segunda ordem”. O treinador atleticano não parou para dar entrevista.

Alexandre Gallo explicou a decisão, tomada após conversa durante a madrugada com integrantes da comissão técnica e membros da diretoria, quando avaliaram a situação envolvendo o treinador e o repórter, que faz a cobertura do noticiário do Atlético-MG para a rádio de Belo Horizonte.

– São duas coisas bem distintas. A gente pode identificar que a gente teve um jogo que foi abaixo do que a gente esperava, isso é uma situação. A outra situação é o que aconteceu (discussão), sem dúvida. Conversamos bastante durante essa noite toda, tivemos algumas reuniões com nosso presidente. Vocês têm que entender um pouco o nosso lado. O que aconteceu: o Oswaldo está há 40 anos no futebol, não tem esse costume, nunca aconteceu uma situação dessas, de chegar a esse ponto, com ninguém em relação à imprensa. Estamos sempre prontos para responder tudo o que todo mundo pergunta. As críticas são normais, são naturais. Houve uma reação de um fato importante.

O diretor de futebol do Atlético-MG disse que o jornalista faltou com respeito ao treinador.

– O repórter acabou (xingando). Isso dito também por um repórter amigo de vocês, aqui de Belo Horizonte, e um lá do Acre também, que nos contou essa situação. Inclusive um colega da Rádio Super, daqui de BH, entendeu que realmente o Oswaldo foi xingado, foi tratado de uma maneira desrespeitosa. Isso atinge diretamente o Atlético. Ele (Oswaldo) é o nosso representante, é o nosso comandante hoje. Diante disso, nosso presidente, neste primeiro momento, deixa que ele fique fora da Cidade do Galo, a partir de hoje, até segunda ordem, para que a gente evite qualquer tipo de problema.

A delegação seguiu do aeroporto direto para o centro de treinamentos. Na programação, está previsto um treino regenerativo. Não haverá atividade no período da tarde, e os jogadores se reapresentam na sexta-feira, quando começam os trabalhos visando o jogo de sábado contra a Caldense, às 16h30 (de Brasília), no Independência.

A Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) deve divulgar nota, ainda na manhã desta quinta-feira, com o posicionamento da entidade a respeito do ocorrido. Já a Rádio Inconfidência só irá se manifestar após ser comunicada oficialmente pelo Atlético-MG da proibição ao repórter. Procurado, Léo Gomide não quis se pronunciar.

Via GloboEsporte/SuldeMinas

 

Faça seu comentário usando o Facebook