Acusado de matar casal diz que motivo foi cobrança de dívida de R$50

Compartilhar

V. M. S. de 32 anos, confessou ter matado o caseiro Antônio Rodrigues Mota, de 61 anos, e Kenia Cristina Dos Santos, de 42 anos, e roubado uma motocicleta e dois telefones celulares que pertenciam às vítimas. Ele prestou depoimento ao delegado Danilo Gustavo Silva Costa, da Delegacia de Homicídios de Passos, no último sábado, 3, em Botelhos (MG), onde se encontra detido no presídio do município. Segundo o delegado, ele afirmou ter cometido os assassinatos após desentendimento por conta de uma dívida no valor de R$50, que V. M. S teria cobrado do caseiro.

Os crimes ocorreram em uma fazenda localizada próximo do km 364 da rodovia MG-050, em Passos, no dia 28 de setembro. V. M. S. era ex-cunhado de Antônio. Kenia, com quem o caseiro mantinha um relacionamento, estava na propriedade rural há menos de uma semana da data dos assassinatos. Durante o depoimento, de acordo com o delegado, V. M. S. alega que, inicialmente, foi até a fazenda sem intenção de matar Antônio, com quem mantinha um bom relacionamento, e onde pretendia ficar hospedado.

Segundo o depoimento, na manhã do crime, V. M. S. e Antônio conversaram por cerca de meia hora, versão comprovada por imagens captadas por câmeras de segurança instaladas na sede da fazenda, enquanto Antônio regava plantas na propriedade rural. Por conta da cobrança do dinheiro, os dois se desentenderam e entraram em luta corporal. De acordo com o delegado, V. M. S. confessou que, durante a briga, pegou um pedaço de madeira e matou o caseiro com seis golpes na cabeça. Depois arrastou o corpo de Antônio até um arbusto, a cerca de 100 metros da residência do caseiro, onde o cadáver foi encontrado com hematomas, escoriações e fraturas no crânio.

Após deixar o corpo do caseiro, ele foi até a residência, onde entrou para pegar a motocicleta, que estava guardada dentro da casa. No local, após abrir a porta, segundo o depoimento, ele teria entrado em luta corporal com Kenia, que teria ouvido os gritos de Antônio. Durante a briga com a mulher, ela foi jogada, de bruços, e teria desmaiado ao bater o rosto no chão. V. M. S. relatou que usou o fio de um carregador de celular para asfixiá-la. O corpo de Kenia foi encontrado com o fio no pescoço.

Depois dos crimes, ele pegou a moto, os telefones das vítimas, passou na casa onde morava, no bairro Penha, em Passos, e foi para São Roque de Minas, onde permaneceu por três dias. De acordo com o delegado, V. M. S. relatou que, em São Roque, vendeu os dois celulares e, com o dinheiro da venda, encheu o tanque da motocicleta, uma Yamaha XTZ Crosser que pertencia ao caseiro, e fugiu para Jaíba, no Norte de Minas, próximo à divisa com o Estado da Bahia.

Em Jaíba, na manhã da última sexta-feira, ele foi preso pela Polícia Militar após solicitação da Delegacia de Homicídios de Passos, que investigou o caso e apurou que V. M. S. pretendia fugir para a região. Segundo o delegado Danilo Gustavo, a detenção foi feita com base em um mandado de prisão, já que o prazo para o flagrante havia expirado. V. M. S. foi encaminhado ao Presídio de Botelhos, onde deve permanecer até o cumprimento do prazo de 14 dias da quarentena por conta da covid-19 e, depois, ser trazido para o Presídio de Passos. Ele é acusado de latrocínio.

 

Fonte: Folha da Manhã
Faça seu comentário usando o Facebook