Alfenas aparece entre as primeiras cidades com atrasos no pagamento do seguro desemprego em MG

Compartilhar

Ministério do Trabalho identificou pagamentos irregulares e bloqueou benefícios.

Ao todo, 635 pagamentos foram bloqueados. Pela investigação, as pessoas estavam recebendo mais do que deveriam. Entre as cidades que mais tiveram casos suspeitos, Alfenas (MG) aparece em 3º lugar na lista.

Conforme o levantamento do Ministério do Trabalho e Emprego, 70 pagamentos do seguro-desemprego foram bloqueados, o que representava um pagamento mensal de R$ 480 mil. Alfenas só ficou atrás na lista de Contagem, na Região Metropolistana, com 182 benefícios irregulares e de Belo Horizonte, com 85 casos.

Infelizmente, as pessoas recebiam os requerimentos do seguro-desemprego e os valores eram alterados por valor maior do que a parcela que ele teria direito. Na agência de Alfenas foi detectado que havia algo errado, que as pessoas estavam obtendo benefício maior do que elas teriam direito“, disse o gerente regional do Ministério do Trabalho, Mário Ângelo Vitório.

Segundo Vitório, assim que o problema foi detectado, os benefícios suspeitos foram bloqueados no sistema do Ministério do Trabalho.

As servidoras detectaram o problema, imediatamente nós já bloqueamos todos os pagamentos do seguro-desemprego, e aí essas pessoas ficaram impedidas do recebimento e isso agora está sendo avaliado, foi aberto inquérito, essas pessoas vão responder por esses processos e se ficar realmente comprovado que elas não tinham direito, ao nosso ver há indícios de que realmente houve a fraude no pagamento desses benefícios“, completou.

As pessoas que receberam indevidamente o benefício podem ser indiciadas pela Polícia Federal.

Elas estão bloqueadas no sistema do Ministério do Trabalho. Quando elas forem novamente entrar com outro requerimento, elas vão ser notificadas que elas têm que devolver aquilo que foi recebido indevidamente, fora isso ainda tem o processo penal que elas vão responder, a Polícia Federal deve indiciá-las se ficar caracterizado esse recebimento indevido, e elas terão que efetuar a devolução integral daquilo que elas porventura tenham recebido indevidamente“, disse o representante do Ministério do Trabalho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Via G1/Suldeminas
Faça seu comentário usando o Facebook