Após uma semana, São Tomé das Letras confirma o segundo caso de COVID-19

Compartilhar

A Prefeitura de São Tomé das Letras confirmou o segundo caso de COVID-19 nesta sexta-feira (13). A vítima é outra mulher, que está em isolamento domiciliar. O primeiro caso foi registrado na semana passado. O município era o único do Sul de Minas livre da doença e esteve fechado para turistas até o mês passado.

A prefeitura publicou um comunicado nas redes sociais para informar a população sobre o novo registro de COVID-19 na cidade. “Trata-se de uma paciente, que já estava em isolamento domiciliar por apresentar sintomas leves. Todas as providencias já foram tomadas pela equipe responsável”, diz assessoria de imprensa.

primeiro caso foi registrado no dia 5 de novembro, apenas 20 dias após a volta dos turistas na cidade. A vítima é uma mulher, de 24 anos, que esteve em viagem a trabalho para São Paulo. Ela também apresentou sintomas leves e segue em isolamento domiciliar. “A mulher vai passar por um novo teste na próxima segunda-feira (16) para ver se ainda está com o vírus ativo”, completa.

São Tomé das Letras passou quase oito meses livre da doença. O município chegou a ser o único do Sul de Minas e estava entre os três do Estado sem registros de COVID-19, como Pedro Teixeira, na Zona da Mata, e Cedro de Abaeté, na Região Central do Estado.

Casos suspeitos e volta dos turistas

O município chegou a ter casos suspeitos em agosto, depois que um médico infectado, de outra cidade, fez atendimento no local. De acordo com a prefeitura, 15 pacientes ficaram em isolamento domiciliar, mas os resultados dos exames deram todos negativos.

Com pouco mais de 6 mil habitantes, São Tomé das Letras se manteve fechada para turistas desde o começo da pandemia. O decreto barrando a entrada de visitantes foi prorrogado a cada mês e o setor do turismo seguia com um plano para a retomada consciente.

No dia 6 de outubro, um grupo de empresários obteve liminar na Justiça pedindo a volta de turistas na cidade. O documento foi expedido pela juíza

Fernanda Machado de Souza Leite, da 2ª Vara Cível da comarca de Três Corações. A magistrada entendeu que a cidade se enquadra na onda amarela do Programa Minas Consciente, do governo do estado, e, por isso, tem condições de fazer a retomada do turismo.

Moradores protestaram contra a decisão da Justiça e a prefeita Marisa Maciel (PT) recorreu. A liminar chegou a ser suspensa pelo presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Gilson Soares Lemes. Mas o pedido de suspensão foi negado pela desembargadora-relatora, Maria Inês Souza, nos autos do recurso do agravo de instrumento, e, em 15 de outubro, a cidade voltou a receber turistas.

Depois de ser obrigada a receber turistas, a prefeitura publicou um decreto proibindo excursões na cidade e os pontos turísticos ainda permanecem fechados. Hotéis e pousadas podem receber apenas 20% da capacidade de lotação permitida e os visitantes precisam comprovar hospedagem com as regras estipuladas pela Central COVID-19.

Fonte: Estado de Minas

Faça seu comentário usando o Facebook