Até meados de agosto o número de mortes deve ser estável, diz secretário

Compartilhar

O secretário de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, afirmou, nesta quarta-feira, que o estado se encontra na fase de platô em relação ao número de óbitos por covid-19 e da taxa de ocupação de leitos. Segundo ele, esse período pode ocorrer até meados de agosto.

“O acompanhamento realizado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) mostra que, embora haja uma aglomeração de óbitos desde o dia 2 de julho, não há uma tendência nítida de aumento. De acordo com as projeções, há uma indicação de horizontalização, que caracteriza o chamado platô”, explicou Amaral.

As informações apresentadas ontem pelo secretário destacam uma comparação entre o número de óbitos relativos à data de ocorrência e o número de óbitos relativos à data de confirmação pela SES (inserção da informação no boletim epidemiológico).

“De acordo com a média móvel de óbitos nos últimos três dias, comparando esses dois recortes, é possível perceber a ocorrência de atraso da confirmação no boletim em relação à data em que o óbito de fato aconteceu. Além disso, também é possível observar uma redução no número de óbitos”, explica o secretário.

Apesar das projeções, Amaral pontua que, embora ainda seja cedo para se falar em queda da curva, tudo indica que não haverá uma alta considerável nos números da covid-19 em Minas.

“É muito provável que ainda estejamos no platô. Mas, possivelmente não teremos um aumento muito significativo de óbitos diários em relação ao que temos hoje”.

Taxa de ocupação

Em relação aos leitos de UTI, o secretário de Saúde afirmou que, no momento, a ocupação está menor, se comparada a meados de julho, o que demonstra uma certa estabilização do cenário.

“Isso pode demonstrar que, ao que tudo indica, paramos de ter a demanda por ocupação de UTI. Tal sinalização é muito importante, já que os níveis da ocupação antecedem aos óbitos em cerca de dez dias”, disse Amaral. Hoje, a taxa de ocupação geral de leitos de UTI no estado está em 67,44% e de leitos de enfermaria em 59,02%.

Ainda de acordo com o secretário de Saúde, todos os dados coletados e análises realizadas são fundamentais para o enfrentamento e controle da covid-19 em Minas.

“A partir desse trabalho é possível apresentar um direcionamento quanto às orientações necessárias para evitar um desequilíbrio na assistência à saúde da população”, explicou.

 

Fonte: Folha da Manhã
Faça seu comentário usando o Facebook
Qual sua reação sobre o post!?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
Menu
Right Menu Icon