Bombeiros mantêm buscas por vítima, em Brumadinho, que estaria perto de picape: VIDEO

Compartilhar

O Corpo de Bombeiros mantém ininterruptas nesta manhã de quarta-feira (2) as buscas no ponto onde está a picape engolida pelos rejeitos imediatamente após o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, em 25 de janeiro do ano passado.

A operação na área onde está a caminhonete se estende por aproximadamente dez horas, e militares têm forte suspeita de que os restos mortais de uma das vítimas da tragédia possam ser encontrados próximos do automóvel.

A picape localizada na noite dessa terça-feira (1°) era procurada pelo Corpo de Bombeiros há mais de um ano e sete meses. Na época da tragédia, circularam imagens impressionantes que mostravam o instante exato em que a estrutura instalada na mina de Córrego do Feijão entra em colapso.

Capturado pela gravação, o automóvel que estava parado na crista da barragem segundos antes da tragédia desaparece diante das câmeras quando a estrutura se rompe, sendo instantaneamente soterrado pelo mar de lama.

Horas ininterruptas

Cerca de um ano e sete meses após a tragédia, equipes do Corpo de Bombeiros mantêm as buscas nas áreas próximas da barragem de Córrego do Feijão com a esperança de que possam ser encontradas 11 vítimas da tragédia ainda desaparecidas.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, porta-voz da corporação, a carcaça da picape que aparece nas imagens no momento do rompimento pode ser a peça-chave para que os militares consigam achar um desses desaparecidos. “A localização dela é muito importante, pois uma das vítimas, joias, que permanecem desaparecidas estava próxima a esse veículo no momento do rompimento. Portanto, a localização do veículo aumenta exponencialmente as possibilidades dessa joia ser encontrada”, declarou na noite dessa terça.

Há fortes indícios de que o motorista da caminhonete estivesse nas imediações quando a tragédia aconteceu. A hipótese de que ele poderia estar no interior da picape no momento do rompimento foi descartada ainda na noite dessa terça-feira, horas após o início da operação, quando a equipe que atua no local concluiu não ter encontrado a vítima no veículo. Bombeiros usam maquinário pesado para procurá-la nos arredores e embaixo da picape.

Retomada das buscas

Cinco dias. Este é o período que separa a data da retomada da operação de resgate em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, do dia em que a picape foi achada – essa terça-feira (1°).

Buscas haviam sido interrompidas no mês de março em função da pandemia da Covid-19 em Minas Gerais, mas puderam ser retomadas na última quinta-feira (27) a partir do estabelecimento de protocolos que regulamentam a atuação de militares que trabalham nas operações de busca em Brumadinho.

 

Fonte: O Tempo
Faça seu comentário usando o Facebook