Café: armazéns lotados dificultam negócios no Brasil

Compartilhar

O mercado físico brasileiro de café teve uma terça-feira, 29, de preços pouco alterados. A volatilidade do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) confundiu o mercado nacional.

Porém, com o fechamento da bolsa com poucas alterações e com o dólar também estável, não houve motivo para mudanças nos valores no Brasil, que terminaram estáveis no comparativo com a segunda-feira, 28.

O dia foi de fraca movimentação, com negociações isoladas. Além da volatilidade da bolsa, ainda há o problema dos armazéns lotados e com dificuldade na logística, o que dificulta a comercialização.

No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa com 15% de catação terminou o dia em R$ 520/525 a saca, estável. No cerrado mineiro, arábica bebida dura com 15% de catação teve preço de R$ 525/530 a saca, inalterado.

Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 380/385 a saca, sem mudanças. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 390/395 a saca, estável.

Por Agência Safras

Faça seu comentário usando o Facebook