Café: Prefeituras recomendam a produtores que priorizem mão de obra local na colheita

Compartilhar

A pandemia do novo coronavírus também deve provocar mudanças no período de colheita do café no Sul de Minas. A produção deverá ser maior neste ano em relação a 2019, que foi ano de bienalidade negativa. Prefeituras de cidades produtoras da região têm recomendado aos produtores que priorizem a mão de obra local.

Como o Sul de Minas conta com a mão de obra de migrantes para a colheita, algumas prefeituras já fazem recomendações aos produtores rurais sobre isso. Não há um número certo dessa mão de obra na região, mas em todo o Brasil, são dois milhões de empregos temporários durante a colheita.

Em Carmo do Rio Claro uma campanha de conscientização será realizada para esclarecer o produtor quanto aos cuidados que deverão ser tomados com os trabalhadores nesse período especialmente de panha de café. A Prefeitura fará uma fiscalização e os produtores serão responsabilizados pelos trabalhadores que colocarem em suas propriedades.

Em Conceição da Aparecida foi editado um decreto proibido a entrada de apanhadores de café de outros municípios.

Em Cabo Verde a prefeitura publicou uma normativa para esse trabalho. A recomendação é que não se faça a contratação de migrantes para a colheita e que se priorize a mão de obra local. Caso seja necessário trazer trabalhadores de fora, a prefeitura recomenda que não seja contratado ninguém dos grupos de risco e que antes deles embarcarem para a cidade, sejam avaliados na cidade de origem para prevenção dos sintomas da Covid-19.

Os migrantes deverão permanecer em isolamento durante sete dias. Se apresentar sintomas, poderá ficar em até 14 dias e receber o termo de isolamento. Se decumprir, poderá ser punido. Os trabalhadores ainda terão que passar por consulta com médico do trabalho e ficarem em alojamentos sem beliche, com distâncias de no mínimo dois metros entre uma cama e outra. Os locais devem ser higienizados, assim como cabines de tratores e os trabalhadores deverão usar EPI´s.

Em Nova Resende, a prefeitura também publicou determinações sobre a colheita. A recomendação é de contratar apenas a mão de obra local. Caso sejam contratadas pessoas de outros estados, é preciso avisar a Vigilância Sanitária com até 15 dias de antecedência.

Em Três Pontas, a prefeitura informou que não há medidas específicas para trabalhadores rurais por enquanto. Produtores e trabalhadores devem seguir as determinações do decreto municipal que proíbe aglomerações.

No ano passado, conforme a Conab, Minas Gerais produziu cerca de 14 milhões de sacas de café. Para este ano, a previsão é de 32 milhões de sacas produzidas, sendo 17 milhões só no Sul de Minas.

Com informações: G1 / Foto destaque: EPTV

Faça seu comentário usando o Facebook

One thought on “Café: Prefeituras recomendam a produtores que priorizem mão de obra local na colheita

Comments are closed.