Candidatos da região recebem auxílio emergencial

Compartilhar

Dados do Tribunal de Contas da União, por meio de auditoria, apontam que, na região, 75 candidatos a cargos eletivos (prefeito, vice-prefeito e vereador) que declararam patrimônio superior a R$300 mil receberam o auxílio emergencial pago pelo governo federal. Entre eles, estão quatro candidatos a prefeito, Francisco Norinho Filho (Ibiraci), Marcelo Rodrigues da Silva (São José da Barra), Juliano Diogo Pereira (Claraval) e Rafael Pereira de Souza (Paraíso), e três candidatos a vice-prefeito.

Em Passos, os candidatos são Cleber Ulisses da Silva, o Cleber da Farmácia (MDB) declarou patrimônio de R$312 mil e recebeu R$600 de auxílio; Vera Lúcia Vilela, a Vera Vilela (Republicanos), que declarou patrimônio de R$300 mil, recebeu R$2.400; Elzo Andrade de Souza, o Perninha (MDB) declarou ter R$691,9 mil em bens e recebeu R$600.

Com patrimônio de R$312 mil, o candidato Carmelitano Lemos Neto, o Carmelitano, do PMN, recebeu R$1.800; a candidata Isabel Pereira de Jesus, a Isabel Pereira (PP), registrou R$350 mil em bens e recebeu R$600 e, Geralda Maria Vaz Gonçalves, a Geralda da Excursão, com R$952,2 mil, que recebeu R$600 do benefício.

O relatório considerou o valor de R$300 mil porque uma medida provisória assinada em setembro deste ano passou a vetar a concessão do benefício a quem declarou bens a partir de R$300 mil em 31 de dezembro de 2019. O ministro do TCU Bruno Dantas afirma que foram os próprios candidatos que preencheram os dados no sistema da Justiça Eleitoral e que, por isso, pode haver erros nas declarações. A Folha apurou que o Ministério Público poderá tomar medidas a respeito.

Em São Sebastião do Paraíso, o candidato a prefeito pelo PSL, Rafael Pereira de Souza Rafael, o Bananinha, recebeu R$1,2 mil de benefício durante a pandemia. Ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ele havia declarado possuir um patrimônio de R$400 mil.

Segundo o documento, sete candidatos a vereador com patrimônio acima dos R$300 mil também foram beneficiados. Pedro Sérgio Delfante, que recebeu R$1,2 mil, declarou ter bens acima de R$1,5 milhão, e Maria Helica da Silva Ferreira, com bens estimados em R$755 mil, sacou R$ 1,8 mil do programa emergencial.

Os outros candidatos a uma cadeira no Legislativo paraisense que receberam valores entre R$600 e R$2,4 mil de auxílio emergencial são: Carlos Eduardo Rissi (R$300 mil declarados), Nilda Maria da Silva Firmo Assis (R$350 mil), Adriano Lima de Oliveira (R$300 mil), Carlos Alberto Gonçalves (R$305 mil) e João Marcos Dinalli (R$400 mil).

Fonte: Folha da Manhã
Faça seu comentário usando o Facebook