Comerciantes de Paraíso comemoram aumento nas vendas

Compartilhar
A maior disponibilidade de dinheiro no mercado não garantiu um “feliz natal” apenas para os consumidores. Os lojistas de São Sebastião do Paraíso também comemoraram um tímido aumento de 5% nas vendas na comparação ao mesmo período dos últimos dois anos. Segundo empresários, o crescimento, mesmo pequeno, atendeu a expectativa.
De acordo com os empresários da cidade, embora o lucro não tenha sido dos mais expressivos, o resultado final agradou a maioria. Segundo a Acissp (Associação Comercial, Agropecuária, Industrial e de Serviços de São Sebastião do Paraíso), o crescimento foi de pelo menos 5%. O presidente da entidade, Ailton Rocha de Sillos, disse que espera, agora, uma reação do setor frente à crise econômica que perdura há dois anos.
Assim como nos últimos anos, a associação realizou o “Natal Premiado Acissp”, que tem o objetivo de estimular as vendas de fim de ano sorteando prêmios aos clientes das mais de 90 lojas que aderiram à campanha. “Realizamos o sorteio na última semana e em janeiro há o sorteio de mais vale-compras nas empresas parceiras. Fizemos também uma parceria com a Prefeitura para que o centro da cidade fosse bem iluminado e acredito que tenha trazido bons resultados com o comércio fechando até mais tarde”.
Luiz Carlos de Oliveira, proprietário de uma loja de roupas, comentou que, apesar de não ter registrado um crescimento significativo nas vendas em relação a dezembro de 2016, o momento deve ser comemorado devido às dificuldades enfrentadas pela classe durante todo o ano. “Cinco por cento de aumento parece pouco quando tratamos os números friamente. Porém, quando analisamos o momento econômico que o Brasil está vivendo e as lutas que enfrentamos nos últimos tempos, acho que temos que comemorar muito”, disse o empresário.
Quem também preferiu enxergar o “copo meio cheio” foi Luciana Rodrigues de Pádua, gerente de um minimercado. “As vendas não foram recordes, mas, graças a Deus, conseguimos pagar os salários e o 13º dos nossos funcionários em dia e ainda sobrou um pouco para investirmos na reforma do nosso prédio. Nós poderíamos ficar aqui lamentando, mas não achamos que isso seja correto; preferimos nos alegrar com o que conquistamos e trabalhar para que, em 2018, tenhamos dias melhores”, comentou.
De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o resultado positivo nas vendas de fim de ano se deu graças à queda da inflação e dos juros e à recuperação do emprego, que permitiu que o trabalhador gastasse um pouco mais com ceia e presentes.
Faça seu comentário usando o Facebook