Confira os prós e contras de antecipar o 13º salário. Vale a pena?

Compartilhar

Em meio à pandemia do novo coronavírus, qualquer dinheiro que possa complementar a renda ou ajudar a quitar as dívidas é muito bem-vindo.

Muitas empresas dão a opção para o funcionário antecipar o pagamento do 13º salário junto com as férias. Vale a pena recorrer a este crédito antes do fim do ano?

Especialistas apontam os prós e contras da antecipação.

Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor-executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), orienta o trabalhador a antecipar o pagamento somente em casos de extrema necessidade.

“Só é interessante solicitar o 13º antes do fim do ano se estiver passando por uma situação difícil ou com uma dívida muito alta”, disse Miguel.

Oliveira lembra que o abono é importante para reforçar o orçamento no fim do ano, quando há maior concentração de gastos. “Também é uma reserva para pagar as contas de janeiro que são muitas.”

A educadora financeira Teresa Tayra concorda com Oliveira e acrescenta:

“Vale a pena solicitar o adiantamento quando você já tem uma certa organização financeira e consciência de que não vai precisar do dinheiro para arcar com as compras extras de fim de ano e de janeiro.”

Teresa também pondera que muitas pessoas acabam resgatando o dinheiro para saldar problemas recorrentes, como quitar dívidas do cartão, por exemplo, sem mudar seu comportamento de consumo.

“Solicitar o adiantamento para quitar uma dívida antes de ter a consciência de gastar menos que ganha, trará resultados frustrantes”, falou Teresa Tayra.

Rejane Tamoto, planejadora financeira pontua que é preciso administrar muito bem o uso do 13º salário.

“Se as contas estão fechando com tranquilidade, a antecipação valeria a pena para ser investida em sua reserva de emergência. Ou seja, em aplicação de renda fixa, de baixo risco e liquidez”, disse Tamoto.

Dessa forma, segundo ela, o dinheiro ficaria rendendo até o fim do ano, antes de ser usado para fazer frente às despesas desse período.

“A recomendação de pedir a antecipação do 13ª para investir é para quem tem disciplina e não vai usar o recurso em gastos inesperados ou compras por impulso”, pontuou Rejane.

Rejane engrossa o coro de Oliveira e Teresa sobre o uso consciente do dinheiro para quitar dívidas.

Ela destaca, porém, que o trabalhador deve aproveitar a oportunidade para reorganizar o orçamento, ajustar as despesas à renda e começar a poupar, mesmo que pouco, para chegar no fim do ano com fôlego.

Seguem algumas dicas dos especialistas sobre a antecipação do abono salarial:

• Anote em planilha, caderno ou aplicativo todos os recebimentos e as despesas de forma detalhada. É preciso computar até os gastos que julga insignificantes: cafezinho, docinho etc.;

• Mapeie seus gastos e aproveite para cortar despesas desnecessárias. Se gasta mais do que ganha, liste algumas ações para podem ajustar a melhorar o orçamento antes mesmo da solicitação do abono;

• Faça uma lista do que poderia ser feito com o valor antecipado. É algo urgente que precisa ser comprado? Ou seria para suprir desejos imediatistas?

• Imagine o final do ano sem o valor. Você tem outras fontes para os gastos extras de Natal e para arcar com as contas início de ano (IPTU, IPVA, matrícula e uniforme escolar)?

• Nos últimos anos, você tem feito as antecipações sem nenhum tipo de planejamento, e acabou se apertando no início do ano?

“Se ainda assim for necessário contar com parte do valor antecipado, invista em uma reserva de emergência o restante, para não se ver obrigado a recorrer a um empréstimo no fim do ano”, diz Rejane.

 

Fonte: R7
Faça seu comentário usando o Facebook