Coronavírus: suposto caso da doença é investigado pelo Ministério da Saúde em Minas Gerais

Compartilhar

Nesta terça-feira, 28, o Ministério da Saúde monitora uma estudante suspeito de ter contraído o coronavírus. De acordo com o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, o jovem apresenta sintomas compatíveis com o do vírus.

A pessoa monitorada trata-se de uma estudante de 22 anos que viajou para Wuhan, na China. Ele chegou no Brasil na última sexta-feira, 24. De acordo com o ministro, o estudante está em um hospital de alta organização na área de infectologia. Todas as pessoas que tiveram contato com o suposto infectado estão sendo monitoradas também, ao todo foram 14.

Conforme o ministro, ela relata não ter ido ao mercado de peixes da cidade, não ter tido contato com nenhuma pessoa doente e não ter procurado nenhum serviço de saúde enquanto estava na cidade. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, a jovem passa bem.

O surto de coronavírus provocou 106 mortes na China, onde o número de infectados passa de 4,5 mil. De todas as mortes até o momento, 100 foram registrada na província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan, epicentro da contaminação. Ao menos 15 países em 4 continentes já confirmaram casos importados da doença.

Até segunda-feira, 27, o Brasil era rotulado como “nível 1” para o risco de coronavírus. Agora, o Ministério da Saúde elevou a categoria de alerta do país, para “nível 2”, ou seja, perigo iminente. A mudança de patamar faz parte de um protocolo envolvendo a escala, que vai de 1 a 3 – o nível mais elevado só é ativado quando são confirmados casos transmitidos em solo nacional.

Ontem, a Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a classificar como “elevado” o risco internacional de contaminação pelo novo coronavírus. O novo status é uma correção na avaliação feita anteriormente pela própria OMS. A organização esclareceu que, por um “erro de formulação”, havia apontado o risco como “moderado”.

De acordo com o pronunciamento do ministro da Comissão Nacional de Saúde da China, Ma Xiaowei, disse que o coronavírus pode se espalhar antes do aparecimento dos sintomas. Além disso, afirmou que a capacidade de transmissão está se fortalecendo e reforçou as ações de contenção, que até agora incluem restrições de transporte e viagens e o cancelamento de grandes eventos.

Faça seu comentário usando o Facebook