Covid-19: Segunda fase dos testes em massa em BH começa na próxima semana

Compartilhar

Na próxima semana, a segunda fase dos testes em massa para o novo coronavírus deve começar em Belo Horizonte. A Secretaria Municipal de Saúde informa que já terminou a coleta nos trabalhadores dos 152 centros de saúde e, agora, vai começar os testes entre profissionais da saúde que trabalham nos hospitais públicos e privados, além de iniciar a coleta entre atendentes e caixas de supermercados, padarias, farmácias e drogarias da capital.

Eles farão parte do inquérito sorológico que a Prefeitura de Belo Horizonte está fazendo, para dimensionar o grau de contaminação em públicos que ficam mais expostos ao coronavírus, por continuarem trabalhando. Segundo o secretário municipal de saúde, Jackson Machado Pinto, o resultado vai indicar como está a circulação do vírus e a imunidade desses segmentos da população, que exercem atividades essenciais. A expectativa é testar 30 mil habitantes por milhão.

Quando a prefeitura anunciou que usaria os 75 mil testes rápidos enviados pelo Ministério da Saúde para realizar o inquérito sorológico na capital, a intenção era testar primeiro os profissionais da saúde e, em seguida, os trabalhadores do transporte público. Entretanto, com a flexibilização da abertura do comércio iniciada no dia 25 de maio, e a necessidade de aumentar a quantidade desses profissionais paraa atender o aumento de pessoas em circulação, a Secretaria Municipal de Saúde optou por aguardar mais um tempo, até que que a amostragem desse público seja redimensionada.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, serão testadas pessoas com ou sem sintomas, para verificar a presença de anticorpos. Cada pessoa terá o sangue coletado três vezes, com intervalo de 14 dias.

A coleta é feita nos locais de trabalho. Só participa quem assinar um termo de consentimento. Em caso de resultado positivo, o paciente receberá as devidas orientações, com garantia de sigilo.

O inquérito sorológico começou a ser feito no dia 19 de maio. Mas a Prefeitura de Belo Horizonte não vai divulgar dados parciais. Todos os resultados serão apresentado somente ao fim do processo, o que está previsto para o fim do mês de julho.

Menos de 10% dos testes rápidos foram feitos

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG) recebeu 783.960 testes rápidos do Ministério da Saúde.  Até o momento, já repassou 441.600 testes aos municípios de Minas Gerais, mas até o dia 4 de junho, apenas 31.151 testes foram aplicados, de acordo com do sistema E-SUS VE, que contempla a rede pública e privada. Isso significa que nem 10% dos testes encaminhados foram realizados.

De acordo com a SES, os testes são aplicados em pessoas que apresentem síndrome gripal  (quadro respiratório agudo, caracterizado por sensação febril ou febre, mesmo que relatada) nas seguintes áreas: profissionais de saúde na atenção primária, prontos-socorros e Unidades de Pronto Atendimento (UPA); profissionais de segurança pública em atividade; além de familiares que moram na mesma casa de alguém desses grupos e que tenha apresentado sintomas; além de maiores de 60 anos que apresentaram quadro gripal.

Já em relação ao teste PCR (Polymerase Chain Reaction), a  Secretaria de Estado da Saúde informa que já realizou 24.018. Desses, 2.133 deram positivo, 20.953 deram negativo, e 234 foram inconclusivos e estão sendo reavaliados.

Por meio da assessoria de imprensa, a secretaria informa que a testagem é um marcador importante para acompanhamento da doença no Estado. Porém, há outros mecanismos de mensuração, como observação da taxa de ocupação hospitalar, acompanhamento do número de óbitos, além do acompanhamento das Síndromes Respiratórias Aguda Grave (SRAG), que são de notificação compulsória.

Fonte: O Tempo
Faça seu comentário usando o Facebook