Decreto que proíbe turistas é renovado por mais 30 dias em São Thomé das Letras

Compartilhar

A prefeitura de São Tomé da Letras renovou nesta quinta-feira (20/08), o decreto que proíbe a entrada de turistas na cidade por mais 30 dias. O município ainda não registrou nenhum caso do novo coronavírus, mas pelo menos 19 pessoas estão em isolamento social, depois de terem contato com um médico infectado pela Covid-19.

“Procuramos os pacientes, fizemos os termos de isolamento, orientamos e informamos que os testes seriam feitos. Apenas um paciente começou a apresentar sinais gripais, mas, em consulta com outro médico, foi receitada a medicação para sintomas iniciais da covid-19. Eles farão o teste antígeno amanhã”, contou Natália Ribeiro dos Santos Silva, coordenadora de Vigilância em Saúde.

Segundo o último censo do IBGE, São Tomé tem cerca de 7 mil habitantes e é um dos destinos mais procurados por turistas pelas paisagens, cachoeiras e misticismo da cidade. O município foi o primeiro do Sul de Minas a fechar as entradas, no dia 17 de março.

Ainda de acordo com o novo decreto, o uso de máscaras continua obrigatório em ambientes públicos e particulares. Nos próximos dias, o município irá publicar uma cartilha, encerrando a primeira a primeira fase de combate à pandemia.

Além disso, será aberto o cadastro de comerciantes para participação em cursos de qualificação nos novos protocolos para a retomada futura do turismo na cidade, que representa cerca de noventa por cento da renda familiar.

Sem previsão de flexibilização, alguns empresários pedem para que o município faça a adesão ao Programa Minas Consciente.

“Já são cinco meses de cidade fechada. A economia do município depende 92% da parte turística e a gente espera um pouco mais de compreensão”, afirmou Sérgio Xavier, promotor de eventos.

Já outros moradores, preferem que as fronteiras continuem fechadas para turistas. Um abaixo-assinado contra a flexibilização do comércio já colheu mais de duas mil assinaturas. Nesta sexta-feira (21), algumas pessoas se manifestaram com cartazes.

“Ainda não estamos preparados para uma reabertura, estamos esperando todos os protocolos com relação a saúde. A gente tem que se reeducar e reinventar para depois abrir as portas para o turismo”, disse a cozinheira, Alessandra Alves Costa.

Fonte: TV Minas

Faça seu comentário usando o Facebook