Dieta Genética: A nova tendência científica contra a obesidade

Compartilhar

Há aqueles que confiam em “dietas mágicas” que prometem reduzir esses quilos extras em pouco tempo e sem muito esforço. Muitos são enganados com esta ideia ilusória de perder peso rapidamente iniciando rotinas alimentícias que não reúnem as condições nutricionais básicas que demanda o organismo.

Para perder peso devem ser consideradas múltiplas variáveis, a nova tendência científica aponta para dietas genéticas ou dieta do DNA. Trata-se de desenhar dietas tendo em conta a estrutura do ADN de cada pessoa.

 

Companhias como DNAfit, Vitagene, ou DNActive encarregam-se de efetuar o perfil genético para depois elaborar um plano alimentar individualizado adaptado à sequência genética dos indivíduos. O estudo genético permite avaliar as diferentes variantes genéticas e outros fatores para criar um menu à medida.

Os especialistas em nutrigenómica e nutrigenética argumentam que a chave para combater o excesso de peso está nos genes de cada pessoa, embora também este método tenha seus detratores que argumentam que as pessoas perdem peso porque estão condicionadas pelo conhecimento que obtêm sobre seus genes.

 

Projeto do Genoma Humano

O projeto do genoma revelou um mapa genético no qual foram identificadas 50.000 variações no código genético de cada pessoa. Um grande avanço científico que exigiu a intervenção de cientistas de vários países durante 13 anos, através desta investigação foi possível aprofundar ainda mais sobre o funcionamento do organismo.

 

Com base nessas descobertas, surgiu a dieta do DNA, uma tendência científica que busca tratar os problemas de sobrepeso com uma nutrição de precisão. A dieta do ADN é uma dieta individualizada feita através de um estudo genético prévio.

O plano alimentar deriva de uma série de parâmetros tratados através de um programa digital no qual são introduzidos os resultados de um perfil genético. Ao realizar o teste são feitas recomendações sobre os alimentos mais convenientes e mudanças no estilo de vida atendendo aos sinais que nos enviam nossos genes.

 

O objetivo deste relatório é oferecer ao paciente uma dieta precisa para perder peso de uma forma confiável e saudável.

Alimentos de acordo com a genética

Uma tendência em desenvolvimento, diretamente relacionada com a dieta do DNA, é a nutrigenética, ramo da genética que estuda o vínculo entre os genes e a resposta individual à dieta e os nutrientes.

Esta parte da medicina nutrigenómica analisa as diferentes variantes genéticas e a sua influência na metabolização dos alimentos, bem como as doenças originadas por hábitos alimentares errados.

 

Atualmente os especialistas em  nutrigenética se ocupam de projetar alimentos médicos supervisionados pela FDA adaptados à genética individual, os quais facilitam a assimilação dos nutrientes necessários para o bom funcionamento corporal.

Os alimentos genéticos fazem parte integrante de uma dieta prescrita por um médico especializado. O Dr. Steve Zeisel é o fundador da empresa SNP Therapeutics, dedicada a investigações no campo da nutrigenética.

 

Este campo científico é recente, e ainda falta muito para descobrir, mas os nutricionistas consideram que o desenho de dietas personalizadas baseadas nos genes individuais é uma forma de combater a obesidade.

O mais importante é contar com um bom médico desta área que forneça um desenho nutricional genético focado na informação genética obtida de um teste, o microbioma intestinal, os biomarcadores e o diagnóstico integral do paciente.

Faça seu comentário usando o Facebook