Diretora da Santa Casa alerta para possível colapso da saúde em Guaxupé

Compartilhar

A Santa Casa de Guaxupé está com 100% de ocupação em leitos de UTI para o tratamento de Covid-19 desde a última quarta-feira (1º). Mais 10 leitos estão em processo de credenciamento para entrar em operação em breve. A diretora-técnica do hospital, Salma Regina Gallape, alertou para o risco de colapso do sistema.

“Nós vamos chegar naquele ponto que nenhum médico gostaria de ter que escolher quem interna na UTI, quem não interna e isso é muito preocupante, principalmente porque você vai ter que fazer esse tipo de opção. Todos nós temos o direito de ter o atendimento necessário, mas o nosso colapso da saúde vem exatamente disso, além da falta de medicamentos que já é um acontecimento da nossa região. Neste momento nós estamos ainda com reservas de medicamentos que fizemos algumas compras, que nos permitiu estar tratando esses pacientes de forma adequada, mas é uma preocupação que nos atinge também”, disse a diretora durante entrevista nesta sexta-feira (3).

Só nos últimos sete dias, Guaxupé registrou 27 novos casos de Covid-19, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Conforme a diretora, o hospital já precisou retirar da UTI pacientes em melhor estado do que outros que chegaram em situação crítica.

“Nós já tivemos que facilitar, promover a alta da UTI para pacientes de uma condição não excelente de ter alta, mas que não corresse risco para o paciente, para que pudéssemos ocupar com os pacientes mais graves”, disse.

Segundo Salma, os pacientes mais idosos são os mais acometidos pela doença, mas isso não quer dizer que pacientes mais jovens também possam desenvolver complicações.

“Para você ter uma ideia, desses sete pacientes internados hoje na UTI, nós temos quatro pacientes entubados e a média de idade desses pacientes varia de 86 até 55 anos. São pacientes de extrema idade, mas também são pacientes de idade média, adultos, que não são tão extremos. Mas na nossa enfermaria nós temos pacientes de 37 anos até 96 anos e um paciente na UTI de 29 anos. Então você vê que essa doença está atingindo todas as idades e de maneira igual, o que vai neste momento fazer a diferença é no prognóstico desses pacientes. Os pacientes mais graves são os mais idosos sim, mas isso não é uma verdade, isso modifica, têm pacientes que estão nos surpreendendo no quesito recuperação”, explicou.

A diretora chamou a atenção ainda para os cuidados que todas as cidades precisam ter para o combate à doença. De todos os pacientes que ocupam as UTIs da Santa Casa, não há nenhum de Guaxupé. Todos são da microrregião.

“Para você ter uma noção, hoje são quatro pacientes de Juruaia internados em UTI, são dois de Guaranésia e um de Poço Fundo, que estava internado em Campestre, Poço Fundo e depois foi transferido pra gente, por falta de condições de Alfenas de receber esse paciente. E de Guaxupé neste momento na UTI nós não temos pacientes. Essa preocupação com a prevenção tem que ser igual, para a toda a região. Não adianta nós fazermos aqui todo o trabalho da melhor maneira, se as nossas cidades em torno não fazem”, explicou.

A diretora diz esperar que o possível colapso possa alertar as pessoas para que tenham mais responsabilidade na prevenção do novo coronavírus.

“Agora quem sabe as pessoas entendam da necessidade do isolamento, do distanciamento, de estarmos deixando mais para frente todos os nossos sonhos de consumo, da nossa parte econômica e pensarmos que a maior e melhor riqueza que nós temos neste momento é a saúde. Não só nossa particular, mas dos nossos familiares, dos nossos amigos, vizinhos e olhar para essa situação com mais responsabilidade, o que vai definir que nosso sistema não entre em colapso daqui para a frente”, finalizou.

Fonte: G1

Faça seu comentário usando o Facebook