Enem será aplicado para presidiários em Passos

Compartilhar

Mais uma ação de ressocialização, os detentos de Passos farão prova do Enem na próxima semana. Nota da prova podem servir para aprovação no ensino médio ou até mesmo pleitear uma vaga na universidade.

Enem será aplicado para presidiários em Passos.

O Exame Nacional do Ensino Médio para pessoas privadas de liberdade (Enem PPL) é uma oportunidade para menores infratores e adultos presidiários escreverem uma nova página em suas vidas e retomar o caminho fora do crime, através do ensino superior. Em Passos, dez detentos farão as provas nos próximos dias 12 e 13 de dezembro.

Aplicado desde 2009, o exame é destinado a pessoas submetidas a penas privativas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade. Os participantes, que devem ter idade a partir de 18 anos, poderão utilizar o desempenho no exame como mecanismo único, alternativo ou complementar para acesso à educação superior. Já os participantes menores de 18 anos, considerados “treineiros”, só poderão utilizar os seus resultados individuais do Exame para a autoavaliação de conhecimentos.

Da mesma forma que acontece com o Enem tradicional, a prova pode ser usada para obter um certificado de conclusão do ensino médio em cursos de Educação de Jovens e Adultos (EJA) oferecidos por unidades socioeducativas. Se conseguirem aprovação no exame, os detentos poderão pleitear uma vaga em um curso superior, porém só poderão frequentar caso recebam autorização da justiça.

A preparação dos detentos é feita na escola prisional, no caso daqueles que frequentam as aulas, onde tem professores que os acompanham nos estudos para as provas, ou então em casos em que o interessado não esteja inscrito na escola prisional, este pode se preparar por conta própria, com livros emprestados da biblioteca do presídio.

Segundo Kátia Pereira, coordenadora do Núcleo de Ensino e Profissionalização da unidade prisional de Passos, as provas são aplicadas em datas diferentes das aplicações do Enem tradicional pois elas não podem ser aplicadas dentro dos presídios nos finais de semana. Assim, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), responsável pelo exame, realiza a prova na terça (12) e quarta-feira (13).

A orientadora pedagógica ainda destaca que para fazer a prova, é necessário mais do que estar simplesmente preso. “O detento precisa ter uma ocupação dentro do presídio, não apenas estar cumprindo pena. O Enem PPL é uma grande oportunidade para quem deseja ingressar no ensino superior e oferece para a pessoa privada de liberdade essa nova chance de planejar seu futuro, mesmo que esteja preso”, esclareceu.

Provas

Serão aplicadas quatro provas objetivas com um total de 180 questões, que abrangem diversas áreas de conhecimento ensinadas no ensino básico e médio. No primeiro dia são aplicadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias, língua estrangeira e redação, com início às 13h30 e duração de cinco horas e meia, e o segundo dia para as provas de ciências da natureza e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias, iniciando no mesmo horário, porém com quatro horas e meia de duração. O aluno pode optar por inglês ou espanhol na prova de língua estrangeira.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) é responsável pela elaboração do exame, que será aplicado nas unidades prisionais e socioeducativas em salas de no máximo 36 pessoas. Cabe ao estabelecimento prisional zelar pela segurança das salas e da aplicação das provas para evitar fraudes.

Via Folhadamanha
Faça seu comentário usando o Facebook
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com