“Espero que esteja bem, ao lado de Deus”, diz pai de criança que morreu em Betim

Compartilhar

O clima de dor e tristeza tomou conta da rua Itabirito, no bairro Industrial São Luiz, em Betim, na região metropolitana de BH, onde um incêndio em uma residência deixou um menino de 3 anos morto, e a mãe dele, de 28, e a irmã, de 1 ano, em estado gravíssimo, na manhã desta segunda-feira (21).

O pai das crianças, o metalúrgico Davidson Pereira de Amorim, esteve no local e, bastante consternado, lamentou o ocorrido. Ele contou que havia se separado da mãe dos filhos há cerca de dois meses e ficou sabendo do acidente por meio de um grupo de conversas que os vizinhos mantêm em uma rede social. “Eu me afastei para evitar as brigas e aconteceu uma coisa dessas. Só penso que a gente deveria estar junto, porque, se eu tivesse em casa, talvez poderia ter evitado que isso acontecesse. Meu filho não era fácil, mas era um menino muito bom, que eu tinha muito apego. Como toda criança, ele era um anjo, e eu só espero que ele esteja bem agora, ao lado de Deus”, lamentou.

Uma vizinha, que preferiu não se identificar, contou, muito abalada, que ninguém notou nada de diferente, até que um rapaz viu a fumaça, entrou no beco e começou a gritar por socorro. “É muito triste presenciar esse tipo de situação. A moça é uma boa mãe, cuida muito bem das crianças. O Bernardo era levado, mas era um amor de menino. Só desejo que Deus dê muita força para que a família supere esse momento difícil e que a Ester fique boa logo”, afirmou.

Socorro

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, um vizinho, que retirou as crianças da casa, contou que estava passando pela rua quando notou muita fumaça saindo da residência da família, que fica no final de um beco.

Ao entrar no local, ele conseguiu tirar o menino, que estava na sala já inconsciente, e, em seguida, teria voltado para buscar a criança mais nova, que estava dormindo em um dos quartos. Eles foram levados de carro pelos próprios moradores para uma unidade de saúde no bairro. A mãe, que foi retirada da casa em seguida também pelos vizinhos, sofreu queimaduras gravíssimas e recebeu os primeiros socorros dos militares.

A tenente do Corpo de Bombeiros Andreza Amante, responsável pela operação, contou que uma sala e dois quartos foram atingidos pelas chamas.

“Inicialmente, os dois irmãos foram encaminhadas à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Petrolândia por vizinhos, mas o menino não resistiu aos ferimentos. Devido à gravidade do estado de saúde das outras duas vítimas, que tiveram mais de 80% do corpo queimado e inalaram muita fumaça, precisamos interditar temporariamente a Via Expressa, no sentido Betim, para realizar o deslocamento da mãe e, posteriormente, da menina, no helicóptero Arcanjo 02, para o Hospital de Pronto Socorro João XXIII, na capital”, explicou.

Ainda não tem atualização do estado de saúde da mulher e da criança de 1 ano.

A perícia da Polícia Civil esteve no local para realizar a perícia, mas não deram entrevistas. Militares da Polícia Militar, que prestaram apoio à operação de salvamento, relataram que, inicialmente, as equipes trabalham com a hipótese de um acidente doméstico.

“Populares relataram que o menino gostava muito de brincar com isqueiro e, aparentemente, ele teria conseguido acender o objeto, iniciando o fogo em um sofá, que ficou totalmente destruído. Porém, essa teoria só poderá ser confirmada quando a perícia concluir os trabalhos e emitir o laudo”, pontuou o tenente Gustavo Pach.

 

Fonte: O Tempo
Faça seu comentário usando o Facebook