Fortaleza de Minas irá multar em R$ 34 quem for pego sem máscara nas ruas

Compartilhar

A prefeitura de Fortaleza de Minas, na região Sul de Minas, vai multar em pouco mais de R$ 34 quem for pego andando nas ruas sem máscaras. Reincidentes pagam valor ainda mais salgado: R$ 348,30. A nova determinação está publicada em um decreto no último dia 6, mas a fiscalização efetiva vai começar nesta quinta-feira (16). A medida é uma das propostas no “isolamento social severo” como prevenção da pandemia de coronavírus.

A cidade, com pouco mais de 4.000 habitantes, segundo o último Censo do IBGE, tem oito casos suspeitos de coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da cidade, mas não tem nenhum caso confirmado. Porém, vem adotando medidas de isolamento social para garantir que a pandemia não chegue ao município. Entregadores de outras cidades ou visitantes, por exemplo, também são obrigados a usar as máscaras estando dentro do território de Fortaleza de Minas.

As máscaras, inclusive, têm sido distribuídas gratuitamente a todos os moradores pela prefeitura, em uma parceria com costureiras locais. As voluntárias trabalharam em suas casas ou no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do município. Os materiais – pano, elástico e linha – foram comprados pelo órgão municipal, e as costureiras doaram o trabalho. Ao todo, foram confeccionadas 8.000 unidades, que serão distribuídas até o fim do dia de hoje (15).

“Vamos terminar de entregar as máscaras hoje à tarde. Em média, cada morador vai ganhar duas. De maneira geral, muita gente já tem usado máscaras aqui, e a população tem aderido bem ao isolamento”, disse Paulo César da Fonseca, procurador geral do município.

Segundo ele, a fiscalização efetiva do uso de máscaras começa nesta quinta-feira (16), após todas as máscaras já terem sido entregues. Além disso, será intensificada uma “barreira sanitária” nas entradas e saídas do município. “Estaremos perguntando para onde as pessoas vão na cidade, além de fazer higienização de rodas, aferir a temperatura e distribuir máscaras, se for necessário. Sabemos que não podemos impedir o direito das pessoas de ir e vir, mas estamos pedindo, neste momento, para que as pessoas não saiam nem entrem na cidade sem necessidade, que não recebam visitas nem visitem, que valorizem o comércio local”, completou o procurador.

Segundo o decreto, a fiscalização do uso de máscaras e nas fronteiras da cidade será feita por membros da Vigilância Sanitária, Epidemiológica e em Saúde, além da Polícia Militar, que poderão contar com apoio do Ministério Público, da Secretaria de Estado de Saúde e das demais autoridades.

 

Faça seu comentário usando o Facebook
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com