Governo admite atraso no salario do funcionalismo, mas garante pagamento até o fim de julho

Compartilhar

Assim como nos últimos meses, o funcionalismo público de Minas Gerais não receberá o salário do mês de junho até o quinto dia útil (próxima segunda-feira). A crise econômica gerada pela pandemia do novo coronavírus é um dos motivos para esse atraso. Apesar disso, o governador Romeu Zema (Novo) já tem uma estratégia para quitar os vencimentos e garantiu que eles serão feitos ainda no mês de julho.

Segundo Zema, o governo irá parcelar o salário da categoria em dois. Uma primeira será efetuada em meados de julho, enquanto a segunda será paga no fim do mês. Ele também informou que não há uma data exata para isso.
“O funcionalismo público vai receber como nos meses anteriores parte do seu salário em meados do mês e a outra parte bem no final do mês. Isso é o que deve ocorrer. A atividade econômica recuperou um pouco, devido a ela ter caído muito, mas eu não tenho ainda, infelizmente, condição de dar uma data”, disse, em entrevista ao Estado de Minas.
Diante das dificuldades financeiras e do cenário pandêmico, o governo de Minas adotou uma estratégia de priorizar os profissionais de áreas essenciais, como saúde e segurança pública. Para o pagamento de julho, a estratégia será mantida.
“Nós vamos manter esse sistema. Saúde e segurança, que são os profissionais que estão se expondo nesse momento, vão receber antes das demais categorias”, completou Zema. Com exceção desses dois setores, o salário de maio do funcionalismo foi pago em duas parcelas: uma em 15 de junho e outra na última quinta-feira.
Fonte: Estado de Minas
Faça seu comentário usando o Facebook