Governo prevê momentos de aceleração mesmo após o pico

Compartilhar

Com o aumento de casos de coronavírus em Minas Gerais em junho e a previsão de pico para julho no Estado, o secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, disse que haverá momentos de aceleração da epidemia enquanto não houver vacina ou imunidade de manada, que ocorre quando muitas pessoas são infectadas e se tornam uma espécie de barreira da transmissão. Em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (1º), o secretário lamentou as mais de mil mortes registradas em Minas Gerais.

“Baseado na epidemia, vamos ter algumas flutuações. Em alguns momentos, será possível uma abertura um pouco maior do comércio e da atividade produtiva, e, em alguns momentos, precisaremos que as pessoas fiquem em casa. Isso não parece ser somente nesse momento do pico. Nós entendemos que, ao longo da epidemia, enquanto não tivermos imunidade de manada ou vacina eficaz, poderemos ter momentos de aceleração da epidemia, com nova necessidade de maior isolamento”, afirmou Amaral.

Ele lembrou que, há cerca de 15 dias, o programa Minas Consciente recomendou o retorno à onda verde, que prevê apenas a abertura de atividades essenciais, na maior parte do Estado.

Segundo Amaral, o RT, que mede a quantas pessoas cada infectado transmite a doença, em média, está atualmente em 1.10 no Estado, considerando a demanda por leitos e as notificações de óbitos, ainda acima do ideal. “Nós gostaríamos muito que, neste momento, em que chegamos próximo do pico da epidemia, projetado para julho, (a taxa) estivesse abaixo de 1”, disse o secretário.

Minas Gerais tem, até o momento, 47.584 casos confirmados de coronavírus e 1.007 óbitos. A taxa de letalidade da doença no Estado está em 2,1%.

Com a proximidade do pico, quando são esperados mais casos e óbitos por Covid-19, o secretário voltou a ressaltar a importância da manutenção das medidas de isolamento social.

“É fundamental que a sociedade entenda que estamos caminhando para um pico. Neste momento, o máximo de isolamento e distanciamento que for possível será impactante nos números que teremos no pico. Mais uma vez, eu convoco a sociedade: vamos tentar ter o máximo de isolamento, vamos usar máscara, lavar as mãos, usar álcool em gel, evitar aglomeração, manter distanciamento e só sair de casa se for fundamental”, destacou.

Telemedicina

O Saúde Digital MG, ferramenta de telemedicina de Minas Gerais, já registra mais de 40 mil downloads, segundo o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral. Ele recomenda que pessoas com sintomas gripais baixem o aplicativo, disponível no sistema Android.

“Nesse aplicativo, é possível que a pessoa seja encaminhada para uma consulta de telemedicina. Isso, de forma geral, permite que, de qualquer lugar do Estado, a pessoa seja avaliada e evita deslocamento a um serviço de saúde”, pontua.

 

Fonte: Portal da Cidade Guaxupé
Faça seu comentário usando o Facebook