Homem é condenado a 16 anos de prisão por homicídio qualificado e ocultação de cadáver em Alfenas

Compartilhar

O julgamento realizado na última sexta-feira, 31, em Alfenas, sobre o caso de assassinato do negociante de gado Carlos Sérgio Esteves, morto em 2012, deu favorável a condenação de Amilson Azola, de 39 anos, apontado como mandante da ação. A maioria dos jurados reconheceu a autoria do réu acatando a acusação feita pelo Ministério Público.

Sendo assim, o autor foi condenado a 16 anos de prisão pelo crime de homicídio qualificado. A condenação também ocorreu no sentido do artigo 211 do Código Penal, sobre a ocultação de cadáver.

No caso e seus desdobramentos, a vítima foi assassinada por dois homens, E.R.R, conhecido como “Duduzinho” e G.B, conhecido como “Cabeça”. Após executarem Carlos Sérgio Esteves, a dupla ainda o enterraram em um canavial, próximo a fazenda Capoerinha. O corpo foi encontrado somente em novembro de 2013, mais de um ano após o fato,  pelos policias. Os dois autores do crime foram condenados a 13 anos de prisão, através do julgamento em 2015.

Em dezembro de 2015, oito meses após o julgamento de seus comparsas, Azola foi preso em Palmas (TO). Na época, o mandante do crime era procurado por esse e também outro crime, estava sendo investigado por tráfico de drogas.

A motivação do assassinato em 2012 seria dívida. O carro foi encontrado incendiado na zona rural de Poços Fundo e ninguém estava dentro do veículo.

Foto: Reprodução Internet / Antônio Carlos via Jornal de Poço Fundo
Faça seu comentário usando o Facebook
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com