IBGE escolhe Poços de Caldas para fazer ‘ensaio geral’ do Censo 2020

Compartilhar

Poços de Caldas, de 170 mil habitantes, vai ter coleta experimental no ano que vem pelo instituto

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) escolheu o município mineiro de Poços de Caldas, de 170 mil habitantes, para realizar o Censo Experimental, uma espécie de “ensaio geral” do Censo Demográfico 2020. Cerca de 250 funcionários (a serem contratados, vão realizar a coleta experimental na idade entre o fim de setembro e meados de novembro do ano que vem.

O Censo Experimental vai reproduzir no município do sul de Minas todas as etapas de coleta de informações que serão usadas em 2020 nos 5.570 municípios do país. A cidade foi escolhida por reunir características encontradas no restante do país, como dificuldades logísticas, existência de áreas urbana e rural, bairros de renda baixa e de alta renda, entre outros fatores.

“A proximidade com Rio de Janeiro e São Paulo também pesou na escolha do município, além da infraestrutura de hotéis. Isso porque teremos pessoas deslocadas de vários pontos do Brasil para acompanhar o Censo Experimental”, disse Luciano Tavares Duarte, coordenador técnico do Censo 2020, lembrando que Rio Claro, no interior de São Paulo, recebeu a coleta experimental do Censo 2010.

Dois destes já foram realizados com questionário de pesquisa. Esses testes, contudo, não buscaram reproduzir o Censo 2020 em menor escala, como vai ocorrer em Poços de Caldas. O primeiro teste de coleta aconteceu em junho, em 52 municípios, e foi realizado totalmente pela internet. Um segundo teste ocorreu entre agosto e setembro, quando os recenseadores  do órgão foram a campo em mais de 50 cidades.

A partir desses testes, o IBGE estimou que 2,5% a 5% dos domicílios do país – algo como 1,7 milhão a 3,5 milhões de residências – devem responder ao questionário do Censo 2020 pela internet. O percentual é bem inferior ao de brasileiros co acesso a internet, que supera 60% da população, segundo dados do próprio órgão estatístico do país.

Como a adesão foi pequena, o órgão estatístico vai manter a mesma estratégia usada em 2010, quando 0,07% das pessoas (40 mil questionários) preencheram o formulário on-line. Como naquele ano, o recenseador irá necessariamente  ao domicílio de cada brasileiro coletar informações. O morador poderá então, voluntariamente, se propor a responder pela internet.

 

Faça seu comentário usando o Facebook