Jovem com atrofia muscular perde cadeira de rodas em golpe

Compartilhar

Em tempo de pandemia, que o contato presencial foi restringido, os estelionatários usam da comunicação nas redes sociais para cometer golpes. A jovem Aline de Castro, de 26 anos, colocou a cadeira de rodas motorizada à venda em um site especializado. No entanto, um interessado se apresentou, levou a cadeira, mas não pagou os R$ 7,5 mil para o equipamento.

Com diagnóstico de atrofia muscular progressiva do tipo 2, a jovem necessita da cadeira para ter mobilidade. Porém, diante do golpe, ela ficou sem o dinheiro da venda para adquirir uma cadeira nova.

Um homem usando um nome falso entrou em contato com ela. O acordo foi fechado pelo WhatsApp. O golpista chegou a enviar um comprovante de depósito falso para ela e pediu para um carro de aplicativo buscar a cadeira. O TED não foi compensado na conta bancária da jovem, que percebeu o golpe, somente depois de ter entregue a cadeira.

Diante dessa situação, ela iniciou uma campanha de doação para arrecadar o valor perdido. Com a doação de 127 pessoas, ela não só conseguiu alcançar a meta, como superou arrecadando R$ 10,8 mil.

A atrofia muscular progressiva fez com que ela necessitasse da cadeiras de rodas desde muito nova. Diante das limitações trazidas pela doença, a cadeira se tornou essencial para que a jovem possa realizar as tarefas em casa e no trabalho.

 

Fonte: Estado de Minas
Faça seu comentário usando o Facebook