Júri Popular condena a 18 anos de prisão homem que matou mulher por ela se negar a manter relações sexuais

Compartilhar

O júri popular condenou a 18 anos de prisão o homem de 25 anos acusado de matar a mulher a facada, em dezembro de 2019.

O julgamento foi nesta quarta-feira, 24, em Divinópolis.

A sentença definiu Neivan Mourão Froes como culpado de feminicídio quadruplamente qualificado.

Há um prazo de cinco dias para que a defesa recorra da sentença.

O júri foi finalizado às 16h30 e, conforme a sentença, levou em consideração o motivo fútil, assassinato mediante asfixia e impossibilidade de defesa da vítima, tornando o feminicídio como crime hediondo quadruplamente qualificado perante a Justiça.

Participaram do júri popular cerca de sete pessoas que foram escolhidas por meio de sorteio.

Na época do crime, Neivan Mourão Froes disse à polícia que matou Janaína Figueiredo, de 23 anos, porque ela teria se negado a ter relações sexuais com ele.

Segundo a Polícia Civil, o irmão da vítima contou ter recebido uma mensagem do cunhado falando que teria matado a esposa porque ela se recusou a ter relação sexual com ele. De acordo com a Polícia Militar (PM), a jovem já estava morta quando os militares chegaram à casa do casal no Bairro Fábio Notini. O autor foi encontrado com vários cortes pelo corpo e deitado no chão ao lado da vítima.

Em janeiro de 2020, familiares e amigos de Janaína fizeram uma manifestação no centro da cidade, contra o feminicídio.

Fonte: Portal Amirt
Faça seu comentário usando o Facebook
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com