Manifestantes saem às ruas pedindo o fim da violência contra a mulher em Poços de Caldas

Compartilhar

Manifestantes saíram às ruas na tarde deste sábado, 08, em Poços de Caldas pedindo o fim da violência contra a mulher. A passeata reuniu dezenas de pessoas. Os manifestantes percorreram várias ruas do Centro. Muitas mulheres carregavam cartazes pedindo o fim da violência.

Uma das participantes é Ana Paula, irmã de Daniele, que morreu aos 33 anos em 2016 ao cair de uma cachoeira em Bandeira do Sul. Na época, o namorado afirmou que caiu ao tirar uma foto e Daniele se afogou ao tentar salvá-lo.

O caso foi tratado como acidente até novembro do ano passado. Após três anos de investigações, a polícia prendeu o namorado acusado de feminicídio.

“Eu acho que ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém, é meu modo de pensar. E a maioria das mulheres que morrem é por confiar, se você não confia você não vai com uma pessoa, é injustiça, eu fico muito triste com isso”, disse a auxiliar administrativo Ana Paula Capelari Plachi.

Nesta semana, mais um caso de feminicídio foi registrado em Poços de Caldas. Uma adolescente que completaria 14 anos no próximo dia 19 foi encontrada morta em uma tapeçaria da cidade. O crime chocou moradores e organizou coletivos da cidade a organizar um manifesto pedindo um basta na violência contra a mulher.

“Diante de um caso assombroso como esse a gente não pode ficar em casa. Mais uma vez a gente vem às ruas para dizer basta, nos queremos vivas, nenhuma a menos”, disse a organizadora da passeata, Adeline Silva Santos.

A mãe de uma vítima morta em 2010 também participou do manifesto. Na época, o marido matou a mulher e escondeu o corpo dentro de um sofá. Ele foi condenado pelo crime.

“Ele matou e ainda falou que matou porque ele quis, então isso aí é mais triste ainda. Eu fiz de tudo, só que eu não consegui. Eu salvei as minhas netas, mas a minha filha eu não consegui. E hoje como eu queria voltar 10 anos atrás, como eu queria, mas o tempo não volta né, como eu gostaria”, completou a auxiliar de serviços gerais, Geni Carvalho do Rosário.

 

Fonte: G1
Faça seu comentário usando o Facebook