Médico alerta sobre os riscos de doenças respiratórias em tempos de pandemia

Compartilhar

As doenças respiratórias são enfermidades que atingem os órgãos e as estruturas do sistema respiratório — vias nasais, faringe, laringe, brônquios, traqueia, diafragma, pulmões e alvéolos pulmonares. Esses distúrbios causam inflamações e irritação na região respiratória, além de provocarem a obstrução das vias aéreas, de forma a dificultar a passagem do ar e impedir a respiração completa.

Existem doenças respiratórias que são de fácil tratamento, enquanto outras são ou se tornam crônicas, precisando de acompanhamento por um longo período de tempo ou até mesmo por toda a vida. As doenças respiratórias são umas das principais causas de mortes em todo o mundo, por isso é importante se cuidar e prevenir que sua família e entes queridos fiquem sempre saudáveis e longe dessas enfermidades.

Algumas doenças respiratórias acometem ou começam apenas nos pulmões, enquanto outras podem se espalhar ou iniciar em outras partes do sistema respiratório, como nariz ou traqueia. Esse tipo de doença acaba atingindo também outros sistemas do corpo e outros órgãos, como a boca. Alguns medicamentos podem fazer com que a boca fique mais seca, aumento da placa bacteriana, desenvolvimento de outras doenças como gengivite e até mesmo incentivar o surgimento de infecções causadas por fungos.

O contrário também pode acontecer, fazendo com que problemas iniciados em outras partes do corpo possam afetar de maneira direta ou indireta os pulmões e o sistema respiratório como um todo. Por isso, procure sempre prestar atenção em todo o seu corpo em busca de sintomas que possam significar algo mais grave e, ao encontrá-los, deve realizar uma consulta com um médico especialista o mais rápido possível.

“Pessoas que possuem doenças respiratórias crônicas, como doença pulmonar obstrutiva e asma, estão entre os grupos mais vulneráveis a complicações decorrentes do coronavírus. Por isso, os pacientes devem redobrar os cuidados de prevenção à Covid-19. A doença apresenta um amplo espectro clínico, com sinais e sintomas respiratórios.”

A Vacinação contra a gripe já começou e é focada, inicialmente, nos grupos de risco, ou seja, idosos, gestantes, profissionais de saúde e pacientes com doenças crônicas. A vacina é gratuita e protege contra duas cepas de Influenza A e uma cepa de Influenza B.

Acompanhe no vídeo com o Médico Thiago Leal Contrucci Montano informações sobre a doença.

Faça seu comentário usando o Facebook