Minas completa um mês de vacinação contra covid-19, com esperança e denúncias

Compartilhar

A campanha de vacinação contra a Covid-19 em Minas Gerais completa um mês nesta quinta-feira (18). Desde a vacinação da técnica em enfermagem do Hospital Eduardo de Menezes, Maria Bom Sucesso, de 57 anos, mais de 420 mil pessoas foram imunizadas com a primeira dose da vacina. As aplicações de segunda dose somam 133 mil.

Ao longo dos últimos 30 dias, a vacinação foi marcada pela esperança, sobretudo de idosos com mais de 90 anos, que começaram a ser imunizados em todo o Estado, mas também por denúncias de irregularidades, perda e até sumiço de doses de vacinas.

Dados do Vacinômetro da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais mostram que, até o momento, 1.171.180 doses foram encaminhadas do Ministério da Saúde para o Estado. Dessas, 1.168.060 foram repassadas às unidades regionais de saúde e 1.033.263 doses chegaram às prefeituras. São os municípios os responsáveis por organizarem as campanhas de vacinação em nível local, seguindo a ordem de prioridade definida pelo Programa Nacional de Imunização.

Com menos de 2% da população vacinada em um mês, o Governo de Minas espera, agora, a chegada de mais doses pelo Ministério da Saúde. De acordo com o governador Romeu Zema (Novo), que se reuniu nesta quarta-feira (17) com o ministro Eduardo Pazuello, o Estado deve receber 10,3 milhões de doses até abril, o que seria suficiente para garantir a primeira dose e o reforço a cerca de 5 milhões de pessoas. De acordo com Zema, a expectativa é de que a fila “comece a andar mais rápido”.

Irregularidades

Se há esperança para uma vacinação mais célere em Minas Gerais, há também uma preocupação com relação às denúncias de irregularidades na campanha. Até o começo do mês de fevereiro, a OGE (Ouvidoria-Geral do Estado de Minas Gerais) já havia recebido cerca de 800 manifestações sobre o processo de vacinação, das quais 523 era denúncias de supostas irregularidades.

A campeã de reclamações é a desconfiança de moradores e servidores públicos com relação aos “fura-filas”. Mais de 300 casos foram reportados ao Governo do Estado. Cada denúncia é apurada pela CGE (Controladoria-Geral do Estado), que pode abrir processos administrativos contra os servidores públicos estaduais envolvidos em irregularidades. Se as denúncias forem relativas aos municípios, as apurações são encaminhadas para ouvidorias municipais ou regionais. O Ministério Público também investiga os casos.

Dentre os casos que ficaram mais conhecidos estão o da Prefeitura de Tumiritinga, a 380 km de Belo Horizonte, que afastou duas secretárias municipais acusadas de estarem envolvidas em irregularidades. A chefe da pasta de Assistência Social teria sido vacinada sem estar incluída em algum critério de prioridade – como idade acima de 90 anos, ser profissional de saúde na linha de frente do combate à covid-19 ou indígena que vive em área de reserva legal.

Os casos de suspeita de “fura-fila” na vacinação contra a covid-19 também incluem o de uma diretora do Sind-Saúde (Sindicato Único dos Trabalhadores em Saúde do Estado de Minas Gerais), que está afastada da unidade de saúde onde trabalhava para exercer o mandato sindical, mas recebeu a vacina destinada a profissionais que estão atuando na linha de frente.

Outro caso que ficou conhecido é a de um secretário municipal em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, que também teria furado a fila. Ele foi exonerado do cargo.

Perda de doses

Dois casos de perda de doses de vacina da Coronavac estão em investigação no Estado. Uma delas diz respeito a um sumiço de seis doses na Maternidade Odete Valadares, em Belo Horizonte. O caso ocorreu na semana em que os imunizantes foram distribuídos para a rede hospitalar estadual. Uma servidora foi afastada pela direção da unidade de saúde e a Polícia Civil investiga o caso.

O outro ocorreu em Igarapé, na região metropolitana de Belo Horizonte. Um refrigerador que deveria manter as vacinas entre 2 e 8 graus queimou e 229 doses da Coronavac perderam o efeito. O Governo de Minas irá repor as doses para garantir a segunda dose a profissionais de saúde do município.

 

Fonte: R7
Faça seu comentário usando o Facebook
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com