Mulher é acusada de matar o companheiro em Três Pontas

Compartilhar

Um rapaz de 44 anos morreu na noite desta quinta-feira, 23, depois de ser esfaqueado pela esposa de 39 anos e atropelado por um veículo, no bairro Santa Edwirges em Três Pontas.

De acordo com a Polícia Militar, a mulher estava em casa se preparando para dormir, quando o marido dela, Aguinaldo Vitor Leonel chegou bastante embriagado dizendo que iria usar drogas. Ela não gostou e pediu que ele não usasse, porém, ele ficou exaltado, a agarrou pelo cabelo e a jogou contra a porta da casa e a parede. Foi quando ela pegou uma faca na porta da geladeira e determinou que ele não se aproximasse. Mesmo assim, ele tentou agredi-la novamente e ela deu uma facada no peito dele.

Ferido, Aguinaldo saiu para a rua gritando por socorro e dizendo que estava sangrando. A esposa foi ver como o marido estava e o encontrou deitado na rua, quando um veículo apareceu.

A mulher diz que sinalizou com a mão para que o veículo desviasse, mas o motorista acabou atropelando o rapaz, passando por cima da cabeça dele.

Ele parou logo na frente e retornou. A mulher disse que o condutor falou que iria acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e a Polícia Militar.

A mulher foi presa em flagrante. O motorista foi apresentado na Delegacia de Polícia Civil de Varginha, para as providências que serão tomadas. A faca utilizada foi apreendida. A Perícia esteve no local.

O condutor é um entregador de lanches. Ele contou à PM que, ao passar pelo local, viu que havia uma pessoa caída no chão e outra em pé, ele passou por elas e, logo à frente, parou para entregar o lanche quando ouviu a mulher dizer que ele havia passado o carro em cima de Aguinaldo.

Ele saiu do local com medo de represálias, mas quando chegou na Avenida Ipiranga, acionou a PM e o SAMU. O motorista contou que chovia na hora e não sentiu nenhum impacto com o veículo e que está convicto que não atingiu a vítima.

A mulher que esfaqueou o marido está grávida, relatou que frequentemente sofria agressões de Aguinaldo porém, nunca registrou nenhuma ocorrência, por medo da reação do marido, que era muito agressivo, contudo não tinha a intenção de matá-lo.

O rapaz não resistiu aos ferimentos e morreu pouco tempo depois no PAM. Ainda não se tem como atestar o motivo da morte, se foi devido a facada ou ao atropelamento.

O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Varginha.

 

Fonte: Equipe Positiva

Faça seu comentário usando o Facebook