Onda Sul FM

‘Novembro Roxo’ chama atenção para a prematuridade

Em Montes Claros, no ano de 2016, cerca de 999 bebês nasceram com menos de 37 semanas de gestação.

Novembro é o mês que sensibiliza a população sobre o nascimento de bebês prematuros, aqueles que nascem antes do tempo previsto. De acordo com a Superintendência Regional de Saúde, em Montes Claros, no ano de 2016, cerca de 999 bebês nasceram com menos de 37 semanas de gestação.

Amanda Cristinne, passou por essa experiência há cinco anos, quando, com 26 semanas de gravidez, teve insuficiência do colo uterino e seu filho Heitor nasceu com aproximadamente 28 cm e com 725 gramas.

“Eu fiz pré-natal e vários ultrassons, mas infelizmente não constavam que era uma gravidez de risco. Assim que ele nasceu, o entubaram, pois ele era considerado um prematuro extremo. A médica de plantão viu que já havia dilatado tudo, então, não tinha como fazer nada, só esperar e tentar segurá-lo o máximo de tempo possível na barriga, pois seria melhor pra ele”, explicou.

A pediatra Januse Vieira destacou algumas das causas mais comuns de prematuridade. “Uma gestação geralmente dura de 37 a 42 semanas. Deste modo, todo bebê nascido cuja a gestação tenha durado menos de 37 semanas completas é considerado prematuro, e o que mais causa essa prematuridade é a gravidez de risco, hipertensão, gravidez antes dos 20 anos de idade, infecções congênitas, má formação do bebê, entre outras.”

Heitor ficou na internação cerca de 90 dias, segundo Amanda. “Meu filho respirava com ajuda de aparelhos, pois o pulmão não havia formado direito, ele era um prematuro extremo. Mas, durante todo o tempo que ficou internado, íamos visitá-lo e eu para retirar o leite para ele”, diz.

A mãe de Heitor ressalta ainda a importância do acompanhamento que teve durante a gestação. “Hoje, ele está com quatro anos, cheio de saúde! Acho fundamental as pessoas entenderem a importância do pré-natal e dos exames, para não correrem riscos ou terem surpresas mais à frente. Como ja sei desse problema, e que posso ter outros partos prematuros, então, em uma futura gestação o pré-natal será de extrema importância.”

A pediatra Januse Vieira destaca também os cuidados especiais que se deve ter antes da gestação e após o nascimento do bebê prematuro. “Um acompanhamento de pré-natal adequado, ultrassom e avaliação periódica, orientações antes e depois da gestação, são indispensáveis para uma gravidez sem intercorrência”, lembra.
Atualmente, Heitor pestá com quatro anos (Foto: Amanda Cristinne / Arquivo Pessoal)
Via G1
Faça seu comentário usando o Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 1999-2019 ONDA SUL - A RÁDIO DO SUL DE MINAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS / IA EMPRESA