Ocorrido com a Backer deve impactar mercado de cervejas artesanais em Minas Gerais

Compartilhar

O segmento de cervejaria artesanal tinha estimativa de crescimento 20% a 30% no país

A estimativa de crescimento para o mercado de cervejas no Brasil é de 3%, enquanto para o segmento de produção de cerveja artesanal é de 20% a 30%. No país já são 1.178 cervejaria registradas, sendo que só em 2019, foram registradas 273 novas fábricas junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Só em Minas Gerais, que é o terceiro maior estado produtor de cerveja artesanal no país, foram oficializadas 45 novas fábricas em 2019. Esse fato colaborava para que a expectativa fosse de um grande crescimento do setor no estado, porém o ocorrido com a cervejaria Backer deve impactar negativamente o mercado. Os fabricantes se preparam e esperam por uma queda no número de vendas.

No momento Minas conta com 157 cervejaria registradas no MAPA, porém dessas a maioria é considerada como de pequeno porte, pois a produção não chega a 30 mil litros de cerveja por mês. A Backer tinha uma produção de cerca de 800 mil litros por mês, o que evidencia os problemas que o setor enfrentará.

No ano passado o setor chegou a alcançar um crescimento de 20% no estado, percentual que também era esperado para este ano. Apenas São Paulo e Rio Grande do Sul, estão na frente de Minas em questão de produção de cervejas artesanais.

Caso Backer

Dados divulgados pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), na última segunda-feira (22), que já chegam a 21 o número de casos de suspeitos por intoxicação por dietilenoglicol. A substância foi encontrada em lotes de cerveja da Backer. Por isso a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou todos os lotes de bebida da cervejaria com validade igual ou posterior a agosto de 2020. Até o momento foram registradas quatro mortes, desta apenas uma teve a intoxicação confirmada.

 

 

 

 

Via Portal Amirt
Faça seu comentário usando o Facebook