Onda Sul FM

Pai é apontado como responsável por morte de bebê de 3 meses

O pai do bebê de três meses morto nesta terça-feira (26), em Andradas (MG), foi apontado como responsável pelo ocorrido. Conforme relato da mãe da criança, ele teria se estressado e agredido o filho. A Polícia Civil prendeu o casal nesta quarta-feira (27) por suspeita de homicídio.

Segundo a delegada do caso, Michele Rocha, os dois foram interrogados separadamente. O pai teria negado qualquer agressão contra o filho. Enquanto isso, a mãe, após insistência dos policiais, atribuiu as lesões corporais identificadas no bebê a agressões desferidas pelo pai.

De acordo com o registro da ocorrência, o Samu foi acionado para atender Yago Lourenço Montanholi pelos próprios pais por volta de 1h30 depois que eles perceberam que a criança não respirava. Apesar de ter recebido socorro e sido levado para a Santa Casa, o Yago não resistiu.

Ainda conforme a delegada, no depoimento a mãe de Yago disse que o filho sentia muita dor abdominal e por isso não parava de chorar. O pai então teria se estressado com o choro do filho. Devido a isso, ele teria agredido continuamente o bebê.

As agressões, segundo o relato da mãe, teriam perdurado por aproximadamente duas horas. As ações acabaram por causar politraumatismo em Yago.

Quem percebeu as lesões na criança foi o agente funerário responsável por recolher o corpo. Ao se dar conta disso, ele teria se recusado a retirar o bebê e a polícia foi acionada. Um laudo deve ficar pronto em 10 dias e apontar se Yago já teria sofrido outras agressões.

Investigação

A causa da morte, apontada no atestado de óbito, foi o politraumatismo causado pelas agressões. O casal foi levado para o presídio de Andradas. Enquanto isso, o inquérito foi instaurado e deve ficar pronto em até 30 dias.

Em nota, a Santa Casa informou que vai apurar através de uma sindicância o acontecido. Caso seja identificada algum tipo de negligência, imperícia ou imprudência dos profissionais, estes serão punidos. A princípio, a polícia não trabalha com a possibilidade de negligência, visto que houve o atendimento. Contudo, ainda será apurado se houve omissão devido os médicos não terem acionado as autoridades.

Faça seu comentário usando o Facebook
© 1999-2019 ONDA SUL - A RÁDIO DO SUL DE MINAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS / IA EMPRESA