Pandemia faz número de doações de órgãos cair em até 80% na Santa Casa de Passos

Compartilhar

A pandemia do novo coronavírus afetou também a doação de órgãos. Só na Santa Casa de Passos (MG), mais de 80% das famílias que poderiam permitir a doação negaram a captação. Um dos motivos é a demora que a captação causaria por causa dos novos protocolos com a Covid-19.

Conforme esses protocolos, a equipe de captação precisa fazer o exame RT-PCR de Covid-19 antes de captar os órgãos. Esse protocolo leva 48 horas para a liberação do corpo, ao invés das 24 horas de antes da pandemia.

“O Ministério da Saúde fez recentemente algumas alterações no protocolo de forma que nós conseguíssemos efetuar essa captação de maneira mais rápida. Com o advento da Covid, o que houve foi que para que tenhamos o diagnóstico da Covid positiva ou não no doador, nós temos que fazer agora o RT-PCR e isso causou um atraso maior na devolução do corpo. Com isso, eu acredito que essas famílias que estão mais fragilizadas com toda a pandemia, com toda a situação que temos vivido, elas têm de forma mais uniforme negado a doação por causa desse atraso”, explicou o neurologista Giovanni Verçosa.

Treze doações poderiam ter acontecido por conta de mortes encefálicas, mas só duas foram autorizadas. As 11 famílias que não autorizaram a doação alegaram a demora para a recusa como o motivo para vetar a doação. Com isso, a autorização para doações neste ano foi de 15%, enquanto no ano passado foi de 63% dos casos.

Fonte: G1

Faça seu comentário usando o Facebook