Paraíso e Capetinga têm piores resultados em indicador salarial; Confira o índice de alguns municípios

Compartilhar

São Sebastião do Paraíso e Capetinga são os municípios da região com menor pontuação no índice Econômico de Remuneração Média dos Trabalhadores Formais, elaborado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Na escala, que vai de 0 a 1 ponto, ambas as localidades atingiram 0,04 ponto e chegaram a uma média salarial de R$1.691,59 e R$1.377,36, respectivamente.

Os 193 países membros da Organização Nações Unidas (ONU) adotaram, em 2015, uma nova política global, chamada “Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, que tem por objetivo elevar o desenvolvimento do mundo e melhorar a qualidade de vida de todos. Nesse documento, foram estabelecidas inúmeras metas a serem alcançadas até o ano de 2030, o que inclui o nível salarial da população.

Em razão dos objetivos a serem alcançados, desde de 2017, a CNM disponibiliza a chamada “Mandala de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” (Mandala ODS), um aplicativo que disponibiliza o nível de alcance de cada segmento pautado pela ONU. No caso da remuneração salarial, anualmente, são apurados os valores médios recebidos, e, quanto mais próximo de 1 ponto, mais perto está a cidade de atingir os padrões da Agenda 2030.

Foto; Reprodução

Para a região, em 12 meses, dez municípios progrediram na escala, seis regrediram e seis permaneceram com os mesmos índices. Passos, que em 2018 garantiu 0,12 ponto e um salário médio de R$1.659,30, no ano passado, registrou 0,09 ponto e uma média de R$1.742,64. Bom Jesus da Penha, com 0,22 ponto em 2019, caiu um ponto em relação a 2018.

No ano retrasado, Pratápolis, localidade com média salarial de R$1.559,61 e 0,18 ponto, regrediu 27,7% na escala e caiu para 0,13 ponto. Doresópolis, território que possuía pontuação máxima (1), teve queda de 31% e registrou 0,69 pontos. Já Alpinópolis (0,17), Carmo do Rio Claro (0,12), Delfinópolis (0,19) e Itaú de Minas (0,39) permaneceram com as mesmas colocações.

São José da Barra foi a única localidade da região com pontuação máxima, e, com 1 ponto registrado, atingiu a meta esperada para 2030. Com relação às cidades que obtiveram aumento em seus índices, em um ano, Capitólio, Cássia e Monte Santo de Minas evoluíram 1 ponto, enquanto que São João Batista do Glória apresentou alta de 20% e Claraval de 33,33%.

 

 

via Folha da Manhã
Faça seu comentário usando o Facebook