Poços contabiliza 30 profissionais da área da saúde que testaram positivo para Covid-19

Compartilhar

Desde o início da pandemia, 30 profissionais que trabalharam na área da saúde já se contaminaram com a Covid-19 em Poços de Caldas. Deste total, 12 que trabalham em equipes de apoio em hospitais ou outros setores e 18 que trabalham diretamente na saúde, como médicos e técnicos da área.

Esta semana um destes profissionais veio a óbito por conta da doença na cidade. Foi o caso de Rosa Maria de Souza, de 66 anos, que trabalhava há mais de 40 anos na Santa Casa do município.

Ela foi homenageada e por um instante a Santa Casa de Poços de Caldas parou. Com rosas nas mãos, os funcionários prestaram homenagem à funcionária que morreu esta semana vítima da Covid-19.

“As lágrimas não têm como esconder, a gente só sabe que por tudo que ela fez, pela dedicação que ela foi aqui dentro da Santa Casa, ela está em um lugar muito bom. Ela está nos braços de Deus porque foi uma pessoa que merece tudo de bom”, destacou a provedora da Santa Casa, Célia Maria de Souza.

O técnico de imobilização ortopédica Fernando da Costa Madaleno foi outro profissional da área da saúde de Poços de Caldas que também foi contaminado pela Covid-19. Ele relata como foi passar quatro dias internado lutando contra o novo coronavírus.

“O isolamento que a gente teve, sem família, porque não pode ter visita. É só um enfermeiro para atender a gente. É uma depressão horrível e a parte emocional da gente cai demais. Não temos apoio de ninguém, porque temos que ficar isolado”, revelou Fernando da Costa Madaleno.

Contaminações na região
O primeiro caso de morte pela Covid-19 entre profissionais da saúde na região foi no dia 12 de abril em São Tomás de Aquino. A vítima foi o fisioterapeuta Weslei Leite Soares de Oliveira, de 34 anos. Desde então outros foram registrados.

Em Passos 12 profissionais de saúde já testaram positivo, sendo que 11 já se recuperaram.

Em Varginha foram 27 profissionais que contraíram a doença. Entre eles a técnica de enfermagem Marilene do Prado Tavares, de 47 anos, que morreu no dia 18 de maio.

“Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, as notificações de adoecimento de profissionais de enfermagem, atualizadas em 30 de junho, chegam a 17 mil profissionais, sendo que cerca de 5.800 são enfermeiros e 11.400 são técnicos e auxiliares de enfermagem. Esse número é muito alto e bastante assustador. Significa que o profissional de enfermagem está sim se contaminando e colocando em risco sua vida e de suas familiares”, comentou Carla Prado da Silva, que é presidente do Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais (Coren-MG).

Um professor de enfermagem destaca os cuidados fundamentais para evitar a contaminação destes profissionais.

“É o uso de equipamento de proteção individual, que são as máscaras, os aventais, os óculos e/ou os protetores faciais que os profissionais utilizam para que eles mesmos não contraiam a infecção. Um outro cuidado é o não uso de adornos, por exemplo, não utilizar brincos e relógios, pois esses objetos podem ser contaminados e então contaminarem o profissional. Outro cuidado é para as mulheres que utilizam cabelos cumpridos, eles devem ser presos, e os homens a barba aparada e de preferência não utilizar barba”, explicou Rogério Silva Lima, professor de enfermagem da Universidade Federal de Alfenas (Unifal).

 

Fonte: G1

Faça seu comentário usando o Facebook
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com