Poços de Caldas está com quase 2 bilhões de litros de água por falta de chuvas

Compartilhar

A estiagem, provocada pela falta de chuvas, deixou Poços de Caldas sem cerca de 2 bilhões de litros de água para tratamento.

O Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) tem realizado manobras para manter o equilíbrio no abastecimento de água na cidade há algumas semanas, entre elas a operação de uso do volume morto da Represa Saturnino de Brito, um dos pontos de captação.

A situação, segundo o departamento, é considerada grave e foi causada pela longa estiagem, que prejudicou o nível dos reservatórios da cidade. Com isso, o sistema de abastecimento está sobrecarregado.

“Estamos há praticamente 8 meses sem chuvas e essa estiagem prolongada deixou a cidade sem cerca de 2 bilhões de litros de água para tratamento. Estamos fazendo o possível para manter o abastecimento, incluindo manobras feitas por toda a cidade, o aproveitamento de reserva técnica da Represa Saturnino de Brito e outras ações. Contudo, sem a matéria prima chegando através das chuvas, contamos com o apoio da população no uso racional da água e na compreensão de um provável desabastecimento momentâneo em determinada região da cidade, em algum dia da semana. Estamos enfrentando, ainda, o uso ilegal da água para irrigação de lavouras, sem a outorga necessária, ou muito além do permitido pela outorga, prejudicando o abastecimento de forma ilegal e predatória. Aliás, o Dmae já propôs, inclusive, ação civil pública na tentativa de coibir estas práticas. Vale ressaltar que muitos municípios do país já estão vivendo o racionamento, e em nossa cidade, estamos fazendo o máximo para garantir, no mínimo, a água nas caixas dos moradores para a realização de tarefas essenciais”, ressaltou o gerente da Divisão de Engenharia e Operações do Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE), engenheiro Rodopiano Marques Evangelista.

Ainda segundo Rodopiano, é muito difícil manter o funcionamento normal do Sistema, sem chuva. “Nesta segunda feira, recebemos a informação de que o nível da Represa Cipó caiu 8,34 metros. Estamos praticamente com a vazão ínfima no Várzea de Caldas, bem como no Ribeirão da Serra, enquanto que na represa Saturnino de Brito já estamos trabalhando na reserva técnica (volume morto). Sem chuva, não tem como produzir água”, ressaltou.

Previsão de chuva

O gerente afirma ainda que durante os próximos dias deveremos ter chuvas na cidade, porém, em um volume muito abaixo do necessário e “chuva mesmo, para valer, segundo os institutos de meteorologia no país, somente a partir do dia 18 de novembro”.

Uso Racional

“O uso racional da água é fundamental nesses momentos, principalmente, mantendo a caixa d´agua em bom nível, não contando muito com a água da rua. Segundo a legislação, uma residência precisa ter, no mínimo, um reservatório de 500 litros, mas o ideal para uma família de duas a três pessoas, seriam 1.000 litros. Além disso, é necessário evitar lavagem de carros e calçadas, banhos demorados, mantendo as torneiras fechadas, lavando roupa com menor frequência, entre outras ações” finaliza Rodopiano.

Fonte: Onda Poços
Faça seu comentário usando o Facebook