Preço do leite deve registrar leve recuo em dezembro, aponta Conseleite

Compartilhar

A cotação do litro foi estimada em R$ 1,1096, recuo de 0,63% frente ao consolidado em novembro, que fechou em R$ 1,1166

O valor de referência do leite projetado para dezembro registrou queda no Rio Grande do Sul, segundo dados divulgados pelo Conselho Paritário Produtores/Indústrias de Leite (Conseleite) do estado , nesta sexta-feira, 20. A cotação do litro foi estimada em R$ 1,1096, recuo de 0,63% frente ao consolidado em novembro, que fechou em R$ 1,1166.

Marco Antônio Montoya, professor na Universidade de Passo Fundo (UPF), que é a instituição responsável pelo estudo, afirma que o leite UHT teve variação positiva de 3,45%, enquanto outros produtos, com participação de 33,86% no mix, caíram 3,88%. “Essa alteração de preços entre componentes importantes do mix justifica a pequena variação no valor de referência do Conseleite”, diz.

De acordo com Montoya, 2019 se encerra com um cenário de estabilidade no preço do leite, considerando todos os itens que compõem a cesta de produtos analisada. “Para 2020, a tendência é de iniciar com estabilidade nos preços, mas, com a recuperação da economia brasileira, a projeção é de melhora gradativa dos preços”, afirma o professor da UPF.

Qualidade do leite

Os participantes do Conseleite debateram também sobre a importância da participação da assistência técnica periódica nas propriedades, a fim de orientar sobre os procedimentos que garantam à manutenção dos níveis de qualidade de produção de leite exigidos pelas instruções normativas 76 e 77.

O secretário-executivo do Sindilat, Darlan Palharini, ressalta a importância do Plano de Qualificação de Fornecedores de Leite (PQFL), recentemente atualizado, que trata da exigência de um planejamento elaborado por todas as empresas e postos de resfriamento e que devem ser apresentado no momento em que os fiscais visitam o estabelecimento. O plano contempla a verificação de mais de 150 pontos dentro da propriedade.

“Estamos avançando praticamente 20 anos em um no que se refere a ações que visam à qualidade do leite produzido no Rio Grande do Sul”, afirma o secretário-executivo do Sindilat.

O presidente do Conseleite e do Sindilat, Alexandre Guerra, afirma que o Rio Grande do Sul vive um momento diferenciado na busca pela qualidade do leite e que isso já se reflete no produto que vem sendo entregue à indústria. “O cenário está mudando, o mercado está cada vez mais exigente, por isso temos que trabalhar com toda a nossa competência”, reforça.

 

Via Canal Rural
Faça seu comentário usando o Facebook