Prefeitura de Poços abrirá consulta pública para a gestão do Circuito Turístico

Compartilhar

A Prefeitura de Poços de Caldas vai abrir uma consulta pública para a gestão do Circuito Turístico da cidade. Técnicos do BDMG apresentaram nesta quarta-feira, 22, um estudo de viabilidade dos projetos.

Conforme representantes do banco, a empresa vencedora do processo licitatório terá que assumir quatro atrações. O Complexo Turístico do Cristo Redentor, que inclui o teleférico, a Fonte dos Amores, o Recanto Japonês e o Véu das Noivas.

“Agrupar esses equipamentos em uma licitação só. Se você separa você perde a integração entre esses equipamentos, você tem um custo de estrutura central que vai ter que existir para cada empresa, que vai ser carregada na estrutura de cada equipamento, um custo financeiro de administrativo que vai ter em cada um desses equipamentos, sem contar que seriam cinco ou quatro licitações, correndo o risco de não ter interessados em alguma delas”, disse o gerente de projetos do BDMG, Carlos Eduardo Ferreira.

A empresa vencedora poderá explorar economicamente os espaços por 30 anos. A contrapartida é o investimento de R$ 37 milhões na substituição de equipamentos e construção e melhoria nas instalações. O que segundo a prefeitura, deve aumentar ainda mais o fluxo turístico na cidade.

“Durante esse processo, que vai durar aí 30 anos, inúmeros outros benefícios serão criados, novos pontos turísticos, novas atrações, enfim somente depois que uma empresa realmente estiver aqui na nossa cidade, estiver investindo aqui, ela vai ver as carências, as necessidades, e vai fazer esses investimentos e todos vão ganhar”, disse o gerente.

Com a concessão dos pontos turísticos para a iniciativa privada, espera-se que a situação do teleférico seja resolvida. Ele está parado desde setembro do ano passado, após a queda de uma das cabines.

Um funcionário que trabalhava no bondinho ficou ferido na queda. Ele fazia a manutenção do equipamento. Uma câmera registrou o momento em que a cabine atingiu um telhado. Um laudo da Polícia Civil apontou que houve um problema na conexão das peças que ligavam a cabine ao cabo.

Segundo o secretário de Turismo, a atração só deve voltar com a administração da empresa vencedora da licitação.

“Não será uma revitalização do teleférico e sim uma troca por outro equipamento novo, então nós achamos aguardar um pouco mais do que investir agora dinheiro público para que daqui a pouco ele seja passado para o setor privado”, disse o secretário de Turismo Ildeu Pereira.

No projeto, o morador de Poços de Caldas terá gratuidade nas atrações, com exceção ao bilhete do teleférico. Nesta quinta-feira, 23, será aberta a consulta pública com todas as informações sobre a concessão.

No dia 18 de fevereiro, haverá uma audiência pública para debater o assunto com a população.

Foto reprodução: EPTV
Foto: João Daniel Alves / EPTV

 

Fonte: G1
Faça seu comentário usando o Facebook