Produtores começam o plantio da soja

Compartilhar

Nas lavouras de toda a região, os produ­tores já estão preparando o solo para o plantio da soja, uma vez que, com a chegada da nova massa de ar polar, vieram as primeiras chuvas do mês de agosto. De acordo com o Levantamento Siste­mático da Produção Agríco­la, produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção deve bater novo recor­de neste ano, com previsão para 6,7% de aumento.

Conforme foi publicado no endereço virtual da Em­presa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), para garantir os rendimen­tos na próxima colheita, é necessário realizar a cor­reção de acidez da terra e a adubação no período certo, além de escolher a melhor época para a semeadura. Uma vez que a umidade do ar e do solo são responsáveis por boa parte das pro­duções agrícolas, é preciso utilizar técnicas para dimi­nuir os efeitos causados pela estiagem, tais como o uso da palhada e o monitoramento de pragas nas raízes.

O presidente do Sindi­cato dos Produtores Rurais de Passos (Sinnlral), Elder Maia dos Reis, explica que, nos casos em que se reali­za o plantio direto, algumas etapas de preparação se tornam desnecessárias. “Nes­ta situação, não é preciso gradear a terra que é a implantação de discos metáli­cos nos locais de lavouras. Quando as plantações são intercaladas , o que muitos fazem na safrinha de milho para aguardar o período da soja, a produção é mais farta, porque o solo já possui muitos nutrientes”, contou.

Para o engenheiro agrônomo Leandro Piza, o maior erro dos produtores é uti­lizar recursos para que as plantas de desenvolvam em curto período de tempo. “Não adianta querer acelerar as etapas, a lavoura precisa respeitar seus pra­zos para florescer e dar os frutos. Quando aplicamos substâncias para antecipar o processo, muitas vezes os rendimentos não são os mesmos, porque existem di­ferenças entre o que é práti­co e o que é saudável, ou seja, o melhor é investir tempo e insumo de qualidade para receber bons lucros”, orien­tou o profissional.

Thiago Rodrigues dos Santos, produtor rural há oito anos, tem acompanha­do o preço da soja e decidiu se dedicar a esta cultura no ano passado. ” Percebi a for­ça deste mercado e comecei a plantar, agora estou me preparando para semear a lavoura pela terceira vez. Este grão oferece rendimen­tos bastante consideráveis, junto do milho, porque for­mam a base da alimentação de muitos animais, como frangos, suínos e bovinos. Então, se tivermos os cui­dados necessários, conseguimos colher em grandes quantidades. Além disso, o preço está favorável, não podemos perder a oportuni­dade”, disse o agricultor.

Neste fim de semana, de acordo com os valores divul­gados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), a cotação para a saca de 60, quilos da soja ficou em R$ 126,96 – a varia­ção diária tem sido de 0,25% a 0,41% em Minas Gerais.

 

Fonte: Folha da Manhã
Faça seu comentário usando o Facebook