Produtos lácteos da Casmil saem do mercado

Compartilhar

Alvo da operação ‘Consilium Fraudis’, deflagrada pela Polícia Civil de Passos no dia 15 de outubro de 2020, a Cooperativa Agropecuária do Sudoeste Mineiro (Casmil) paralisou todo o setor de produtos lácteos desde o fim daquele mês. Os serviços da loja veterinária e o posto de combustíveis, ambos localizados em Passos, foram terceirizados.

O presidente da cooperativa, Leonardo Medeiros, revela que o setor de laticínios está sendo totalmente reestruturado, mas sem previsão para a reativação. Ele não descartou a possibilidade de repassar a fabricação dos produtos para outra empresa. A Casmil manufaturava ricota, manteiga, doce de leite, diversos tipos de queijos, leite pasteurizado e embalado tipo B. As mercadorias eram distribuídas aos estabelecimentos comerciais da cidade e região.

Medeiros garantiu que a marca dos produtos alimentícios Milklar permanecerá sendo comercializada em Passos e outras cidades. “Mesmo se a Casmil não voltar a administrar o setor, exigiremos da empresa que for administrá-lo, continuar com o nome original há anos consumido pela população de Passos e municípios adjacentes”, afirmou.

Sobre a captação de leite cru nas fazendas passenses e de outros municípios vizinhos, o presidente da Casmil informou que atualmente são poucos os cooperados, já que muitos acabaram migrando para outras empresas. No entanto, a fábrica de ração, as lojas revendedoras do produto e o posto de combustíveis em São João Batista do Glória continuam sendo administrados pela cooperativa.

Documentos

A operação ‘Consilium Fraudis’ foi coordenada pelo delegado e responsável pela Agência de Inteligência Policial (AIP), Felipe de Souza Capute, o à época delegado regional adjunto Danilo Tobias de Oliveira Fernandes e 12 policiais, entre investigadores e peritos criminais.

Posso adiantar que já analisei os documentos apreendidos na cooperativa e eles confirmam as diligências iniciais sobre a apropriação fraudulenta dos valores do fundo de investimento. Agora eu aguardo documentos do afastamento de sigilo bancário, que já pedi e foi deferido pela Justiça, para então, em seguida, intimar as testemunhas e interrogar os investigados”, explicou Capute sobre o andamento das investigações.

Fonte: Folha da Manhã
Faça seu comentário usando o Facebook