Receita Federal e IF transformam 16 toneladas de tabaco em adubo

Compartilhar

A Receita Federal, em parceria com o Instituto Federal do Sul de Minas (IF Sul de Minas) campus Muzambinho, realiza nos dias 17 e 19 de novembro a transformação  de 16 toneladas de tabaco em adubo. O material foi apreendido em operações de fiscalização da Receita Federal e seria utilizado na fabricação clandestina de cigarros.

Uma das formas de destruição de mercadorias previstas na legislação é a descaracterização. Nesse caso, o tabaco está sendo transportado para o campus, onde será transformado em adubo por meio  do processo de compostagem. A  carga deve chegar ao campus por volta das 10h da manhã desta terça. A descaracterização do produto ocorre com a mistura do tabaco aos demais componentes necessários à confecção do adubo e deve ser atestada por uma comissão de servidores da Receita Federal, especialmente designada para acompanhar o processo.

Após o período necessário para estabilização do composto orgânico, que pode durar de 90 a 120 dias, o IF Sul de Minas realizará a distribuição desse material nas áreas de cultivo da Escola Fazenda do próprio instituto. O delegado da Receita Federal em Varginha, auditor-fiscal, Michel Lopes Teodoro destaca o grande impacto ambiental dessa ação: “estamos dando uma destinação sustentável a algo que seria utilizado na fabricação de cigarros, que são nocivos à saúde. Essa parceria transforma materiais  contrabandeados em produtos benéficos à comunidade e ao meio ambiente”.

Michel destacou ainda que esse é um projeto inicial que deverá ser ampliado em breve. Em um segundo momento, a Receita Federal destinará cigarros ao IF Sul de Minas que, também, serão destruídos por descaracterização, transformando-se em adubo.

Para o reitor do instituto federal, professor Marcelo Bregagnoli, “é mais uma parceria de sucesso entre os órgãos federais. Onde se via problema, com um material como o fumo, de difícil descarte, daremos solução, com seu reaproveitamento em áreas agricultáveis, dentro do setor produtivo do campus Muzambinho e de outros campi. Agradecemos à Receita pela confiança e desejamos novos projetos em benefício da sociedade”.

O IF Sul de Minas detalhou  em seu Projeto de Compostagem que “por ser um material vegetal rico em carbono, o tabaco contribuirá sobremaneira para a qualidade do composto orgânico”. Além disso, com o composto produzido “espera-se a melhoria das características físicas, químicas e biológicas dos solos, ou seja, melhor conservação das áreas , melhor nutrição das plantas e aumento de produtividade, contribuindo para a sustentabilidade das atividades agrícolas do Campus. Sabe-se que a nicotina presente no tabaco tem propriedades inseticidas, como bem recomendadas infusões para este fim na agricultura orgânica”, explica Carlos Alberto Machado Carvalho, Professor e Coordenador Geral de Produção do Campus Muzambinho.

Fonte: Folha da Manhã
Faça seu comentário usando o Facebook