Regional do Ibama este ano completa 30 anos de instalação em Lavras

Compartilhar

Em toda Minas Gerais existem apenas 5 Unidades Técnicas do Ibama: Lavras, Governador Valadares, Juiz de Fora, Montes Claros e Uberlândia

O escritório do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), é sediado em Lavras desde 1990 e está completando 10 anos em sua sede própria. De acordo com o chefe da UT, Marcelo Guimarães, a unidade conta com sete servidores e dois terceirizados.

O imóvel de 7 mil m², sendo 2,5 mil m² de área edificada, foi doado ao órgão em 2009 pela Secretária do Patrimônio da União (SPU), passando por uma grande reforma com a construção de salas, alojamentos, refeitório e banheiro; servindo também como depósito de madeira apreendida e arquivo morto de processos físicos do Ibama/MG.

A inauguração da atual sede foi em setembro de 2010, sendo prestigiada com a presença de várias autoridades, dentre elas o Presidente do Ibama à época, Abelardo Bayma Azevedo.

A Unidade Técnica do Ibama em Lavras, está localizada estrategicamente nos limites Sul, Sudoeste, Oeste e Campos das Vertentes do estado de Minas Gerais, próximo das divisas com os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, com jurisdição atual em 182 (cento e oitenta e dois) municípios e 70.016 Km² (setenta mil e dezesseis quilômetros quadrados) e população de 2.686.162 (dois milhões, seiscentos e oitenta e seis mil, cento e sessenta e dois) habitantes.

Possui em municípios de sua jurisdição 3 (três) importantes unidades de conservação federal (Parna Canastra, Flona Ritápolis e APA Mantiqueira), que diuturnamente demandam ações para atendimentos em suas zonas de amortecimento.

As rodovias BR-381, BR-354, BR-265 e BR-262 que dão acesso ao sul, centro-oeste, norte e nordeste do país são importantes rodovias que passam pela área de abrangência da UT Lavras e são usadas como rota para o transporte de madeiras oriundas da região amazônica com destino ao mercado consumidor dos estados de MG, SP, RJ e estados da região sul, bem como, tráfico de animais silvestres e transporte de cargas e produtos perigosos; sendo algumas delas objeto de licenciamento ambiental federal.

Ainda na área de jurisdição da UT Lavras estão as bacias hidrográficas do alto rio Grande com área de drenagem de 8.804 Km² e alto São Francisco com área de drenagem de 14.203 Km² e os biomas de Mata Atlântica, Cerrado e seus ecótonos de transição.

No rio Grande, estão os reservatórios de Camargos (73,35 Km²), UHE de Itutinga (2,03 Km²), com geração de 52 MW, UHE de Funil (38,32 Km²), com geração de 180 MW; UHE de Furnas (1.440 Km²), com geração de 1.216 MW e UHE de Mascarenhas de Morais (250 Km²), com geração de 478 MW; destinados também à atividade turística, pesca profissional e amadora.

Localizado também na jurisdição, tem o Porto Seco Sul de Minas, estação aduaneira situada no município de Varginha em um terreno de aproximadamente 1 milhão de m², consistindo em um ponto central situado a 95 Km de Lavras e pouco mais de 300 km dos municípios de São Paulo, Santos (SP), Campinas (SP), Rio de Janeiro, Sepetiba (RJ) e Belo Horizonte. Há mais de 12 anos o terminal realiza operações com movimentação de cargas nacionais e internacionais.

O chefe da Unidade Técnica de Lavras é Marcelo Ferreira Guimarães, o Ibama Lavras fica na rua José Júlio de Oliveira, 30 – Bairro Vila Mariana. Telefones: (35) 3821-1934 e 3821-1917, e-mail: lavras.mg@ibama.gov.br e o horário de funcionamento é de 8h às 12h e 13h30 às 17h30.

O Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) é uma autarquia federal vinculada ao Ministério do Meio Ambiente do Brasil. Atua em todo o território nacional com poder de polícia ambiental.

 

 

Fonte; Jornal de Lavras
Faça seu comentário usando o Facebook