Ricos do mundo somaram R$ 3,3 trilhões às fortunas em 2017

Compartilhar

Montante dos 500 mais afortunados cresceu 23% no ano após valorização de ações.

As pessoas mais ricas do mundo acrescentaram US$ 1 trilhão, o equivalente a R$ 3,3 trilhões, a suas fortunas em 2017. De acordo com a “Bloomberg”, o crescimento é mais de quatro vezes maior que os ganhos de anos passados em função da valorização de ações no mercado financeiro.

A plataforma destacou que os 500 detentores das maiores fortunas do mundo acumulavam juntos US$ 5,3 trilhões quando o mercado fechou em 26 de dezembro. No mesmo período de 2016, a categoria era dona de US$ 4,4 trilhões.

O Índice de Bilionários da Bloomberg mostra que os 500 indivíduos mais ricos do mundo tiveram a riqueza acrescida em 23% durante o ano. A valorização seguiu a alta de quase 20% no MSCI World e no S&P 500, índices do mercado financeiro.

Segundo o levantamento, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, gozou da maior alta de fortuna entre os 500 da lista. A sua riqueza cresceu US$ 34,2 bilhões (R$ 113,5 bilhões), o que o fez desbancar o cofundador da Microsoft Bill Gates e se firmar no posto de pessoa mais rica do mundo. Na manhã desta quarta-feira, a fortuna de Bezos era estimada em US$ 99,6 bilhões (R$ 330 bilhões). Gates acumula US$ 91,3 bilhões (R$ 303 bilhões), constatou a Bloomberg.

Jeff Bezos é fundador da Amazon – Mike Kane / Bloomberg

Em terceiro lugar, aparece o americano Warren Buffett, à frente do magnata espanhol Amancio Ortega e do fundador do Facebook Mark Zuckerberg. No estudo por país, os chineses foram os que mais acresceram valor às suas fortunas em 2017. Por outro lado, quem mais perdeu dinheiro no ano foi o francês Patrick Drahi, do ramo de telecomunicações, cuja fortuna caiu 39%, e chegou a US$ 6,2 bilhões (R$ 20,5 bilhões).

Via OGlobo
Faça seu comentário usando o Facebook