Sinal aberto: TVs Educativas mineiras poderão transmitir conteúdos da TV Cultura de São Paulo

Compartilhar

Protocolo de intenções foi assinado entre Amirt e Fundação Padre Anchieta

A Associação Mineira de Rádio e Televisão — Amirt — assinou nesta quinta-feira (22),  um protocolo de intenções com a Fundação Padre Anchieta (TV Cultura), cujo objetivo é a transferência de tecnologia, programação, projetos culturais, fomento de produções independentes, elaboração de modelos de negócios e a filiação das TVs Educativas no interior de MG filiadas a Amirta à TV Cultura.

Com o documento assinado, agora as 26 TVs Educativas de Minas Gerais poderão transmitir a programação da emissora paulista. De acordo com Luciano Pimenta, presidente da Amirt, é uma satisfação firmar esta parceria que será de grande importância para o setor. “É importante lembrar que nós tentamos há algum tempo manter um diálogo transparente com o atual governo de Minas Gerais, mas foi frustrado”, afirma. 

Aproximadamente 72% de toda população mineira está localizada no interior do estado, e é nesse território que se encontra o maior número de TVs Educativas do Brasil. São 40 geradoras mistas e/ou plenas responsáveis por levar informação a mais de 62% dos mineiros que vivem no interior de Minas Gerais.

As TVs geradoras do interior de Minas produzem jornalismo diário, atuante e de grande alcance e relevância em sua cidade e na região de cobertura. Muitas delas, no horário do telejornal, são líderes de audiência e superam as emissoras de redes nacionais.

Presentes nos maiores municípios do estado, as emissoras educativas atingem, nas cidades em que são geradoras, quase 27% de toda a população que mora no interior de Minas. E quando as coberturas regionais são ampliadas o número fica ainda maior e alcança a marca de 62% de pessoas que habitam este território interiorano de Minas Gerais. 

Reunidos mensalmente, o conteúdo jornalístico e cultural produzido pelas TVs Educativas mineiras, faz do interior de Minas Gerais o maior produtor de conteúdo do interior do Brasil, gerando emprego e riqueza cultural.

Em muitas localidades, as TVs são a única voz da comunidade ou da região, abrindo sua grade com a população local, diferente das das emissoras comerciais filiadas a grandes redes.

 

Foto; Divulgação
Foto; Divulgação
Foto; Divulgação
Faça seu comentário usando o Facebook