Soja: com dólar em alta, saca é negociada a R$ 150 no mercado interno

Compartilhar

Com o dólar subindo durante a maior parte do dia e com Chicago com ganhos consistentes, os preços da soja oscilaram entre estáveis e ainda mais altos no mercado brasileiro. No interior do Rio Grande do Sul, houve indicação de R$ 150 a saca para embarque em dezembro e pagamento em janeiro.

O mercado segue distorcido, com poucos negócios e comprador bastante agressivo. A falta de produto determina esse comportamento.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 145. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 144,00 para R$ 144,50. No porto de Rio Grande, o preço subiu de R$ 138 para R$ 139.

Em Cascavel, no Paraná, o preço aumentou de R$ 135 para R$ 139 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca permaneceu em R$ 137.

Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 137 para R$ 144. Em Dourados (MS), a cotação estabilizou em R$ 140. Em Rio Verde (GO), a saca passou de R$ 140 para R$ 142.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira, 17, com preços em forte alta. O mercado renovou os maiores patamares em mais de dois anos hoje, impulsionado novamente pela boa demanda chinesa pela soja americana.

As exportações semanais norte-americanas de soja ficaram em 2,457 milhões de toneladas na semana encerrada em 10 de setembro, segundo dados divulgados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O número ficou próximo do patamar máximo das estimativas do mercado, que oscilavam entre 1,5 milhão e 2,8 milhão de toneladas.

O destaque do relatório foi a venda de 1,49 milhão de toneladas para a China no período. Além disso, o USDA anunciou na parte da manhã mais duas operações de venda por parte dos exportadores privados, envolvendo 264 mil toneladas para a China e 360,5 mil toneladas para destinos não revelados.

Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com alta de 17,25 centavos ou 1,7% em relação ao fechamento anterior, a US$ 10,28 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 10,31 por bushel, com ganho de 16,00 centavos ou 1,57.

Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com alta de US$ 9,60 ou 2,94% a US$ 335,30 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 34,86 centavos de dólar, baixa de 0,05 centavo ou 0,14%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em baixa de 0,17%, sendo negociado a R$ 5,2320 para venda e a R$ 5,2300 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,2290 e a máxima de R$ 5,2940.

 

Fonte: Canal Rural

Faça seu comentário usando o Facebook