UFMG sobe posições e fica em 15ª em ranking internacional com 410 instituições

Compartilhar

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) atingiu a melhor avaliação no ranking do QS World University, após subir duas posições com relação ao levantamento anterior. Agora, a instituição mineira aparece como a 15º melhor universidade da América Latina, na pesquisa que inclui 410 universidades.

O ranking é liderado pela Pontifícia Universidade Católica do Chile. Entre as 20 instituições mais bem posicionadas no levantamento, sete são brasileiras: USP, Unicamp, UFRJ, Unesp, UFMG, PUC-Rio e UFRGS. Para chegar a classificação, o QS avalia vários critérios.

De acordo com o QS, a UFMG melhorou seu desempenho em quatro dos oito indicadores: docentes com doutorado – quesito que tirou nota máxima  (100) –, impacto na web, citações por artigo e reputação entre empregadores.

O levantamento, publicado na quarta-feira (11), mostra que a instituição mineira ocupa o grupo de 4% das universidades no topo do ranqueamento. Para a reitora Sandra Regina Goulart Almeida, a classificação confirma que a UFMG tem colhido resultados positivos dos esforços nas diversas frentes de sua atuação.

“Os rankings utilizam diferentes critérios, e alguns quesitos escolhidos pelo QS têm caráter subjetivo. O bom desempenho da UFMG em vários desses rankings, tanto nacionais quanto internacionais, é consequência de um trabalho sério, de excelência e compromisso social, resultado do esforço coletivo de toda a comunidade”, destaca.

Na visão da reitora, a evolução no ranking reforça o trabalho que a UFMG vem desenvolvendo nos campos do ensino, da pesquisa, da extensão e da inovação. “Nossos resultados em outro ranking, o THE [The Times Higher Education], e no Enade [Exame Nacional de Desempenho de Estudantes], o prêmio de patente do ano no Brasil e a própria atuação no enfrentamento da covid-19, reconhecida pela sociedade e por várias esferas governamentais, atestam isso e reafirmam nosso compromisso como universidade sintonizada com o interesse público”, afirma.

Para o pró-reitor de Pesquisa, Mário Montenegro Campos, o resultado do QS mostra que a UFMG ganhou visibilidade e tem sido ainda mais reconhecida por sua qualidade. “A instituição tem-se mostrado dinâmica e resiliente diante de desafios diversos e situações imprevistas vividas nos últimos anos.”

Fonte: O Tempo
Faça seu comentário usando o Facebook