Um ano depois da queda do bondinho, teleférico continua fechado em Poços de Caldas

Compartilhar

Neste sábado (5) faz exatamente um ano da queda de uma das cabines do teleférico de Poços de Caldas (MG). Desde então, o ponto turístico, que é um dos mais procurados, continua fechado para o público. A expectativa da prefeitura é que no próximo ano, o teleférico volte a ser atração no município.

O G1 entrou em contato com a prefeitura para saber o que tem sido feito para a volta do ponto turístico neste ano. Segundo o diretor de turismo, a volta do teleférico está associada à concessão dos pontos turísticos para a empresa vencedora do edital aberto pela prefeitura.

Desde o acidente, em setembro de 2019, o município vem realizando manutenções periódicas e trocas de peças para preservar o patrimônio. Segundo o diretor de turismo, Israel Souza Pereira, a empresa que vencer a licitação para os pontos turísticos deve reconstruir o teleférico em até cinco anos.

“O investimento no novo teleférico deve ser de aproximadamente R$ 20 milhões. No primeiro edital, a empresa vencedora deveria reconstruir o bondinho em até dois anos, mas por causa da pandemia nós precisamos alterar. Agora a empresa deve substituir o teleférico por um equipamento totalmente novo em até 5 anos”, explicou Israel.

Para o diretor, a paralisação das atividades do teleférico foi ruim não só para os turistas, mas também para o município, uma vez que o local era uma fonte financeira para a cidade.

Relembre o caso
Um bondinho do teleférico de Poços de Caldas (MG) caiu na tarde do dia 5 de setembro de 2019. A queda aconteceu durante uma forte chuva no município.

Os bombeiros informaram que a cabine do teleférico se desprendeu de um cabo e caiu sobre o estacionamento de uma oficina automotiva. Um funcionário, que fazia a manutenção dentro de uma das cabines, caiu de uma altura 12 metros.

Na época, a Polícia Civil abriu um inquérito para apurar as causas do acidente. Segundo o diretor de turismo, o trabalhador Miguel Albano de Almeida Filho, de 59 anos, continua afastado pelo INSS.

Concessão dos Pontos Turísticos
No dia 13 de agosto, a prefeitura publicou o edital para a escolha da concessionária que irá administrar os pontos turísticos. Segundo diretor de turismo, o edital deve ser aberto no dia 15 de setembro.

O Circuito Turístico é formado pelo Complexo Turístico Cristo Redentor (que inclui o teleférico), a Fonte dos Amores, o Recanto Japonês e o Complexo Véu das Noivas. A concessionária será responsável pela exploração de atividades turísticas dos pontos turísticos, incluídas obrigações de gestão, melhorias e operação dos atrativos existentes, em formato de circuito turístico integrado.

A empresa vencedora terá concessão por 35 anos. Ainda de acordo com o diretor, estão previstos investimentos de aproximadamente R$ 40 milhões nos cinco primeiros anos da concessão.

“O vencedor não pode descaracterizar os pontos turísticos. Além disso, qualquer ação deve autorizada pelo município. Não é uma terceirização, porque depois de 35 anos o complexo volta a ser administrado pela prefeitura. A intenção é melhorar a questão do serviço no turismo”, explicou Israel.

Ainda de acordo com o diretor, os pontos turísticos continuarão gratuitos para moradores do município. Com exceção do teleférico, onde o poços-caldense terá direito a 50% de desconto.

 

 

Fonte: G1

Faça seu comentário usando o Facebook