Viagem na pandemia: a exigência do seguro com cobertura Covid-19

Compartilhar

Malas arrumadas, dinheiro reservado para estadia, documentos em mãos e, entre eles, o seguro Covid-19 pronto para ser apresentado em caso de emergência. Em tempos de pandemia do novo coronavírus este novo tipo de cobertura médica para viajantes tornou-se imprescindível, pois permite alguns benefícios no caso de imprevistos que coloquem em risco a saúde durante a viagem. Entre eles, a hospitalizações por coronavírus, o pagamento de hotel e até um retorno urgente.

Obviamente ter um seguro saúde em qualquer viagem, seja ela nacional ou internacional, é um item essencial. No cenário atual da pandemia isso se tornou obrigatório. Muitas países solicitam a cobertura Covid-19 de turistas estrangeiros, bem como a apresentação de uma declaração eletrônica e um teste de PCR (swab) com resultado negativo.

Em sintonia com o que acontece nas principais cidades da Europa, América, África e Ásia, o seguro Covid-19 é uma exigência exclusiva para quem visita seus destinos. Com essa iniciativa, países como Argentina, Chile, Brasil, Colômbia, Cuba, Estados Unidos, Alemanha, França, Espanha, Itália, Turquia e Tailândia, para citar alguns exemplos, buscam que os viajantes não tenham que enfrentar grandes despesas caso adoeçam durante as férias e que ninguém fique sem cuidados.

No caso da necessidade de quarentena, por exemplo, o seguro cobre o pagamento de alojamento para enfrentar o período de isolamento. Daí a importância de ter um plano de proteção, pois isso evita que sejam os destinos que tenham que arcar com os custos, disponibilizando seus próprios benefícios de saúde pública.

Custo do seguro viagem para Covid-19

Diante do tempo pelo qual se estende a pandemia de coronavírus, a indústria de seguros de viagens revisou seus protocolos e incluiu uma série de apólices que cobrem a Covid-19, assim como muitos destinos estrangeiros começaram a exigi-las.

De acordo com essa realidade, o seguro de viagem ganhou novas políticas relacionadas à pandemia que, apesar de mais abrangentes, não custam necessariamente muito mais em comparação aos planos anteriores. É bom lembrar que os valores de seguro de viagem são cotados em dólar e depois convertidos em real, portanto, também estão bastante sujeitos à variação cambial.

Embora existam seguros internacionais para todos os orçamentos e com coberturas assistenciais bastante variáveis, deve-se levar em consideração, por exemplo, que uma repatriação médica desde os Estados Unidos custa cerca de US $ 50 mil.

Nos países europeus, o seguro de viagem exige a cobertura mínima de 30 mil Euros, valor estabelecido pelo Tratado de Schengen. Mas a maioria dos seguros partem de 35 mil Euros. De acordo com cotações de janeiro de 2021, o preço de um seguro de 10 dias para na Europa, que inclua cobertura para Covid-19, gira em torno de R$ 400 a R$ 500 por pessoa.

É fundamental que a contratação seja com uma empresa séria que atenda aos benefícios oferecidos e que os preços entre as seguradoras sejam comparados, pois como já foi dito, estes valores se movimentam.

Existem plataformas online de comparadores de preço de seguro de viagem capazes de ajudar muito os turistas, inclusive nos detalhes quando se trata de entender a cobertura, os destinos onde é necessário e inevitáveis advertências.

Como o seguro de viagem cobre a Covid-19

A cobertura mais destacada deste atendimento é a garantia de cancelamento e interrupção da viagem por diagnóstico positivo da doença, reembolso de despesas de hospedagem e alimentação, transferência de familiar, entre outros. Estes benefícios variam de acordo com a apólice.

O novo seguro com cobertura Covid geralmente cobre os viajantes desde o dia após a contratação até o retorno para casa. Durante este período, caso o beneficiário fique doente e um médico determine que ele não pode viajar (por causa do vírus), os benefícios de cancelamento e interrupção de viagem entram em vigor.

Caso o diagnóstico de Covid-19 ocorra antes da partida, a apólice cobrirá as despesas de viagem pré-pagas. Se a doença for diagnosticada por um médico durante a viagem, o seguro reembolsará arranjos pré-pagos como hospedagem e cobrirá a passagem aérea adicional para voltar para casa – uma vez que um profissional de saúde considere seguro viajar.

Se o titular for obrigado a entrar em quarentena e não puder viajar, a cobertura para hospedagem, refeições e transporte local também serão pagas, até determinado valor. A apólice de seguro de viagem também pode cobrir despesas médicas por até um ano, caso o paciente já tenha esgotado seus próprios benefícios de seguro saúde privado.

Nem todas as despesas relacionadas à Covid-19 são cobertas por muitas dessas políticas das seguradoras incluindo, por exemplo, testes para o vírus que muitos destinos exigem antes da chegada (eles podem ser cobertos por seguro particular).

Para aqueles preocupados com eventuais problemas no exterior, é preciso escolher bem a empresa que mais confia, afinal, assim como o coronavírus é algo novo no mundo, a cobertura dos planos para a doença que ele causa também é muito recente.

Faça seu comentário usando o Facebook

One thought on “Viagem na pandemia: a exigência do seguro com cobertura Covid-19

Comments are closed.