Zema anuncia pagamento da primeira parcela dos salários de servidores

Compartilhar

O pagamento da primeira parcela dos salários dos servidores públicos estaduais será feito na próxima quarta-feira (15), com exceção dos funcionários das áreas de saúde e segurança, que já receberam suas remunerações nesta quinta (9). O anúncio foi feito pelo governador Romeu Zema (Novo) em Brasilia, após encontro com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

“Depois de muito esforço, nós conseguimos viabilizar o pagamento das primeira parcela do salário de março (dos servidores), no valor de R$ 2 mil para a proxima quarta-feira. Eu mesmo estou empenhado em conseguir recursos para o pagamento da segunda parcela e estaremos divulgando a data assim que for possível”, informou Zema.

No encontro com Bolsonaro e Paulo Guedes, Zema propôs uma nova negociação para a venda dos créditos de nióbio pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e solicitou um auxíllio financeiro do governo para compensar as perdas em arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), em função do desaquecimento da economia com a crise do novo coronavírus

Minas propõe “aluguel de ações”

O objetivo do governo de MG é fechar um entendimento com o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Banco do Brasil ou Caixa Ecônomica Federal. O assunto foi discutido em encontro de Romeu Zema com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano. A nova proposta envolve uma operação que o chefe do Executivo denominou de “aluguel de ações”.

Zema destacou que pretende viabilizar a venda do nióbio para regularizar o pagamento dos servidores estaduais. Além de recursos para pagamento do 13º salário de 2019 de parte do funcionalismo, ele também tenta encontrar meios para poder quitar os salários de março de grande parte dos servidores.

Até agora, o estado anunciou somente o pagamento da folha salarial de março dos funcionários da saúde e da segurança pública, alegando não ter previsão de data para o pagamento das demais categorias, devido á falta de dinheiro em caixa, consequência da crise da pandemia da COVID-19.

“O meu grande sonho é colocar o salário do funcionalismo em dia. Por isso que estou aqui. O grande motivo de eu estar aqui é olhar o lado do funcionaliamos, que, desde 2016, está recebendo (o salario) parcelado, afirmou o chefe do Executivo.

Zema lembrou que governo de Minas vinha conduzindo a operação da venda dos créditos de nióbio no mercado financeiro desde o final de 2019. Mas, que acabou devido à paralisação no mercado financeiro, ocasionada pela crise do coronavirus, a operação foi suspensa. Desta forma, propôs a negociação com a União, por meio dos bancos oficiais, entre os quais citou o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Ele salientou que a compra dos créditos do nióbio representa um “bom negócio” para os bancos federais.

“O Governo Federal ficou de analisar (a proposta). Inclusive, o próprio presidente (Jair Bolsonaro) considera o nióbio um material estratégico. Caso essa operação venha ser efetivada no mercado financeiro, existe a hipótese de alguma entidade internacional se interessar, apesar de não ser a propriedade. É o aluguel das ações. Mas isso no futuro facilitaria a entrada de alguém externo. Mas ele (Bolsonaro) se mostrou totalmente propicio (ao negocio”, assegurou o governador, em entrevista, antes do encontro com Montezano.

Após o encontro, a assessoria do governador informou que a presidência do BNDES ficou de avaliar a proposta da negociação dos créditos do nióbio e que dará uma resposta dentro das próximas semanas.

 

 

Fonte: Estado de Minas

Faça seu comentário usando o Facebook