Zema volta a defender privatização da Cemig

Compartilhar

Durante inauguração de uma usina fotovoltaica ontem, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, o governador mineiro Romeu Zema (Novo) voltou a defender a privatização da Cemig, a qual disse estar exaurida e precisando de R$ 12 bilhões para reestruturação. Ele ainda elogiou o novo empreendimento do setor privado, que até o fim do ano vai inaugurar mais duas plantas do tipo e chegar a um investimento de R$ 100 milhões.

A usina fotovoltaica, de acordo com Zema, mostra que Minas Gerais tem potencial para se transformar em um grande produtor de energia elétrica, o que seria importante, uma vez que a Cemig tem dificuldades de expansão. “Muitos produtores rurais, industriais e operadores logísticos gostariam de ter mais energia e muitas vezes eles são atrasados porque nossa companhia estatal não consegue entregar (energia) na quantidade e agilidade necessárias. Isso deixa muito claro que a empresa estatal foi exaurida financeiramente nos últimos governos, o que prejudica o desenvolvimento do estado”, disse.
O governador completou que, atualmente, o estado não consegue investir o valor necessário para readequar a Cemig. Com isso, o setor privado teria mais condições de tocar a empresa. Apesar de novamente citar a venda da companhia de energia mineira, não há previsão sobre o processo de privatização. Segundo Zema, a prioridade no momento é terminar os andamentos para negociação da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig). Ele lembrou, no entanto, que o andamento é lento e passa por diversas etapas de análise na Comissão de Valores Mobiliários, no Ministério da Economia e até no BNDES.
Fonte: Estado de Minas
Faça seu comentário usando o Facebook